O aviso vindo de Itália. "Estádios com público só com vacina"

Responsáveis do futebol italiano querem retomar competições o mais breve possível. A subsecretária de Saúde italiana da saúde acha cedo e diz que público nos estádios não será possível num futuro próximo.

A liga italiana, tal como a grande maioria dos campeonatos europeus, aponta para o regresso das competições entre maio e junho. Em que moldes é que ainda não se sabe, pois está tudo dependente da evolução dos casos de covid-19. Mas pelo menos em Itália uma coisa parece certa: os jogos de futebol, a voltarem, deverão ser realizados à porta fechada, uma medida que de acordo com a subsecretária de Saúde italiana deve estender-se durante uns bons meses.

"Vejo muito complicado o cenário de o futebol voltar a ser jogado com portas abertas ao público e sinceramente não me parece que este debate seja nesta altura prioritário. Mas parece-me impossível imaginar estádios cheios mesmo num futuro próximo. As pessoas só devem voltar aos estádios quando estivermos em plena segurança, ou seja, quando houver uma vacina contra o covid-19", disse Sandra Zampa em declarações à televisão italiana RAI. De acordo com algumas previsões, a vacina contra a covid-19 poderá estar disponível em outubro.

Para a responsável pela pasta da saúde italiana, de momento não existem sequer condições para que os jogos de futebol possam ser realizados mesmo à porta fechada durante o mês de maio. "Não é nenhuma catástrofe se esperarmos mais um mês. Se os clubes insistirem que existem condições para os jogos serem disputados, vamos avaliar as propostas. Mas eu diria que não, apesar de não me caber a mim avaliar essa situação", acrescentou.

Sandra Zampa não é em Itália a única voz contra o retomar da liga italiana a curto prazo. Giovanni Rezza, diretor do Instituto Superior de Doenças Infecciosas, também já deu o seu parecer negativo. "Se for chamado a dar a minha opinião, a minha resposta é não", atirou nesta semana. Um comentário que mereceu a reprovação de alguns clubes, caso da Lázio, que pela voz de um dirigente chegou a dizer que "o papel dos cientistas é serem cientistas e não tifosi".

Na segunda-feira, o presidente da Federação Italiana de Futebol disse que pretende realizar testes de diagnóstico ao covid-19 a todos os jogadores no final de abril, permitindo assim que os clubes regressem aos treinos em maio.

"A federação vai ter uma reunião com o comité técnico-científico no dia 15 de abril que também irá contar com a presença de profissionais, cientistas e especialistas na indústria. Vamos definir um procedimento que será encaminhado para as ligas, as quais terão de garantir que o mesmo será rigorosamente respeitado pelos atletas. Espero que possamos recmeçar até ao final de abril com a aplicação desse procedimento que implica, em primeiro lugar e acima de tudo, a realização de testes de modo a garantir que todos os protagonistas sejam negativos. Depois, daremos início ao verdadeiro processo e os treinos serão retomados. Esta é a indicação que temos para começar o mais rápido possível com a nossa liga", referiu Gabriele Gravina.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG