Nélson Évora fora da final do triplo salto. Pichardo apurado

Portugueses com sortes diferentes em Doha

O luso cubano Pedro Pablo Pichardo assegurou esta sexta-feira o apuramento para a final do triplo salto dos Mundiais de atletismo de Doha. Já Nélson Évora foi afastado. O saltador do Sporting ficou-se apenas pelos 16,80 metros, acabando por ficar fora dos 12 atletas apurados para a final, depois de em 2017 ter conquistado o bronze.

Nelson Évora, abriu a sua qualificação a 16,26 metros, depois melhorou para 16,67, uma marca que ainda não chegava. Finalizou com 16,80, então com um 11.º lugar - ou seja, estava dependente de só poder ser ultrapassado por dois adversários até ao fim, o que não aconteceu e Évora fica arredado da final.

Pichardo saltou para a final logo na primeira tentativa, com 17,38 metros, optando por não fazer mais nenhum salto já que a qualificação era garantida com os 17.10 metros. O atleta do Benfica é agora um dos favoritos a conquistar medalhas na final que decorre no domingo, a partir das 19.45.

Ainda esta sexta-feira entra em ação Salomé Rocha na maratona.

"Toda a gente pensa que faço milagres, mas não sou santo milagreiro"

Para Évora, que já foi medalhado de ouro, prata e bronze, esta é mesmo a sua pior classificação de sempre, superando o 14.º lugar de 2005, o que desvaloriza, garantindo que está a partir de agora totalmente focado nos Jogos Olímpicos de Tóquio, para os quais ainda não tem marca.

"Estou de fora e desejo o melhor a quem está na final, desejo o melhor a todos os que estão dentro", disse no final da qualificação Nelson Évora, sublinhando que quer "tudo de bom para os colegas de grupo" que seguem em frente, porque "provaram que merecem estar na final".

Assume que não pode encarar a eliminação "com naturalidade": "não é o meu registo, não é aquilo para que treino, mas arrisquei, sai da minha zona de conforto, andei a 'bailar' com a corrida de balanço, para a frente, para trás..."

"Milagres não se fazem... toda a gente pensa que faço milagres, mas não sou santo milagreiro! As pernas estão bem, o corpo está bem e saltei com o coração..., mas tomei um risco e não correu bem. Podia ter corrido bem e vocês nem notariam. Terei de levantar a cabeça, descansar alguns dias e voltar à carga", disse Évora.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG