Rio Ave provoca um apetite especial em Marega e o FC Porto agradece

Avançado maliano marcou o único golo dos dragões, que continuam empatados pontualmente com o Benfica e a um ponto do surpreendente líder Famalicão. Marega faturou nos Arcos pela 12.ª vez aos vila-condenses, as vítimas preferidas do atacante africano em Portugal

O que é que Marega tem contra o Rio Ave? Esta deve ser a pergunta que os adeptos rioavistas vão fazendo depois de o avançado maliano ter reforçado a vocação em marcar à equipa de Vila do Conde, a sua vítima preferida no futebol português: 12 golos em 10 jogos.

Incrível como essa tendência se mantém apesar de o atacante africano ter mudado várias vezes de equipa em Portugal e de os vila-condenses terem apresentado de época para época alterações no comando técnico e no plantel. Afinal, Marega marcou por duas vezes em dois jogos com a camisola do Marítimo, três em dois com a do Vitória de Guimarães e sete em seis com a do FC Porto. Aliás, marcou sempre que defrontou este adversário de dragão ao peito.

12 não é só o número de golos do maliano ao Rio Ave. Também foi o minuto em que o único golo do encontro deste domingo surgiu, com uma cabeçada certeira do carrasco rioavista na sequência de um canto teleguiado de Alex Telles, num lance em que os homens dos Arcos ficaram a pedir falta sobre Tarantini.

A partir desse momento, foram mais de 80 minutos a gerir uma vantagem que esteve mais perto de ser aumentada do que anulada, mas curto 0-1 motivou sempre incerteza no resultado, até porque se estava a um jogar num terreno em que a equipa de Sérgio Conceição deixou escapar uma vantagem de dois golos na temporada passada e do outro lado estava oponente que tem vindo a protagonizar um início de temporada muito positivo.

O técnico portista surpreendeu ao introduzir Nakajima no onze, no lugar que vem sendo a ser ocupado por Luís Díaz, e de certa forma pela estratégia para o jogo, porque o FC Porto, que até nem é uma equipa de posse, esmagou nesse item estatístico durante a primeira parte (35%-65%) diante de um Rio Ave de Carlos Carvalhal que tem vindo a mostrar que gosta de ter bola.

No segundo tempo, os vila-condenses conseguiram ter o esférico em sua posse durante mais tempo, mas pertenceram aos vice-campeões nacionais as principais ocasiões: livre direto de Alex Telles para defesa de Kieszek para a trave (54'), grande remate de Zé Luís para enorme intervenção do guarda-redes polaco (73') e novo livre de Alex Telles à trave (77'). Pelo meio, Taremi viu um golo ser-lhe invalidado por fora de jogo e, depois de alguns minutos de incerteza, o VAR confirmar a decisão - o iraniano estava em posição irregular por 64 centimetos.

Antes de uma longa paragem no campeonato, que não se vai jogar durante quase um mês, o FC Porto soma a oitava vitória seguida em todas as competições e imita o resultado do Benfica de véspera, ainda que os encarnados tivessem jogado em casa e frente a um Vitória de Setúbal longe de ter os argumentos do Rio Ave, e mantém-se igualados com os rivais no segundo lugar, a um ponto do surpreendente líder Famalicão, que este sábado recebeu e venceu o Belenenses SAD por 3-1. Afastado do pelotão da frente está o Sporting, que com 11 pontos de atraso para os famalicenses e 10 para os rivais vai esta segunda-feira à Vila das Aves tentar encurtar distâncias no jogo de encerramento da 7.ª jornada.

A figura: Moussa Marega

Aos poucos, as críticas à alegada má forma física e à inspiração deste início de época do avançado maliano vão deixando de fazer sentido. Moussa Marega somou o quarto golo da época, em 10 jogos, o que lhe dá uma média de 0,4 golos por jogo, que se aproxima à da época passada (0,45). O possante atacante africano começou a noite deste domingo por ver Pawel Kieszek negar-lhe um golo logo aos 2 minutos, mas redimiu-se aos 12, com o cabeceamento certeiro que garantiu os três pontos ao FC Porto.

Resumo do jogo

Ficha de jogo

Jogo no Estádio dos Arcos, em Vila do Conde.

Assistência: Cerca de 5.000 espetadores

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve)

Rio Ave: Kieszek; Nélson Monte (Taremi, ao intervalo), Borevkovic, Aderllan Santos e Matheus Reis; Tarantini e Filipe Augusto; Nuno Santos, Diego Lopes (Jambor, ao intervalo) e Carlos Mané; Bruno Moreira (Ronan, 80).

Treinador: Carlos Carvalhal

FC Porto: Marchesín; Corona (Manafá, 60), Pepe, Marcano e Alex Telles; Otávio, Uribe, Danilo e Nakajima (Mbemba, 76); Marega e Zé Luís (Luís Díaz, 82).

Treinador: Sérgio Conceição

Marcador: 0-1, Marega, 12 minutos.

Disciplina: Cartão amarelo a Filipe Augusto (22'), Corona (27'), Zé Luís (30'), Nuno Santos (53') e Matheus Reis (61').

Exclusivos