Mulher de Schumacher diz que o marido "não desistirá"

Corinna Schumacher respondeu a carta de do músico alemão Sascha Herchebach, que recentemente compôs uma música dedicada ao antigo campeão mundial de Fórmula 1

A mulher de Michael Schumacher, Corinna, disse que o marido "é um lutador e não desistirá" em resposta a uma carta enviada pelo músico alemão Sascha Herchebach e fã do antigo piloto, também alemão, que não foi mais visto desde que sofreu um grave acidente de esqui em 2013.

O artista, que recentemente compôs uma música dedicada ao heptacampeão mundial, revelou o conteúdo da carta escrita por Corinna: "Gostaria de agradecê-lo pela mensagem e pelo presente neste período difícil. É bom receber tantos votos e palavras reconfortantes. É um grande apoio à nossa família. Todos sabemos que o Michael é um lutador e não desistirá."

Quase cinco anos depois do acidente (a 29 de dezembro de 2013) na estância de Maribel, em França, o estado de saúde de Michael Schumacher, sete vezes campeão do Mundo de Fórmula 1 entre 1994 e 2004 (pela Benetton e Ferrari), é um dos segredos mais bem guardados do mundo. Pouco se sabe sobre as reais sequelas sofridas pelo piloto alemão, que bateu com a cabeça numa rocha quando esquiava e sofreu um grave traumatismo craniano que o deixou em coma. Sabe-se que está na sua casa, em Gland, na Suíça, junto ao lago Genebra, numa sala sob a supervisão de uma equipa médica composta por 15 pessoas e coordenada pelo clínico Richard Frackowiak.

Em agosto deste ano foi noticiado que a família de Schumacher tinha comprado e se iria mudar para uma propriedade em Andratx, na ilha de Maiorca, que pertencia ao presidente do Real Madrid, Florentino Pérez. No entanto, a informação foi prontamente desmentida.

A última informação médica sobre o estado de saúde do piloto germânico, de 48 anos, data de setembro de 2014, quando deixou o hospital de Lausana e se mudou para casa. "Tendo em conta os graves ferimentos que ele sofreu, têm sido feitos progressos nas últimas semanas e meses. Há ainda, no entanto, um longo e difícil caminho pela frente. Daqui em diante, a reabilitação do Michael [Schumacher] vai decorrer em sua casa", lia-se numa nota emitida pela família.

A privacidade em torno de Michael Schumacher tem sido cumprida à risca a 100%. Ou quase. As exceções foram uma notícia em agosto de 2014, sobre o alegado roubo de um relatório médico sobre o piloto no hospital de Grenoble que alguém terá tentado vender à imprensa. E um processo movido pela família a uma revista alemã que escreveu que Schumacher já conseguia andar sem a ajuda de terapeutas e que já conseguia levantar um braço. Mas o advogado da família, Felix Damm, negou todas estas informações. Corinna e Sabine Kehm, assessora de confiança da família, têm conseguido blindar de forma exemplar tudo o que rodeia o atual estado do germânico.

Mais recentemente, em 2016, foi igualmente notícia que um paparazzo estaria a tentar vender a vários órgãos de comunicação do mundo uma alegada fotografia do piloto na cama do hospital, exigindo um milhão de euros. Mas a verdade é que essa fotografia nunca foi publicada, provavelmente com medo de fortes represálias legais de um possível processo judicial movido pela família do piloto alemão.

Exclusivos