Morreu Sequeira Andrade, um apaixonado pelo atletismo

Foi colaborador do Desporto do Diário de Notícias

João Sequeira Andrade, antigo colaborador do Desporto do Diário de Notícias e dirigente desportivo, foi uma referência do atletismo nacional. Morreu no domingo aos 92 anos. O corpo de Sequeira Andrade estará a partir das 16.00 desta segunda-feira na Igreja de S. João de Deus, em Lisboa, sendo rezada missa na terça-feira, às 10.00 e seguindo o funeral para o Alto de S. João.

Era um apaixonado por atletismo, modalidade que serviu como dirigente na Federação Portuguesa de Atletismo e na Associação de Atletismo de Lisboa."Notabilizou-se acima de tudo pelo seu excelente trabalho de divulgação na sua carreira de jornalista, que encheu páginas e páginas de diversos jornais e revistas, deixando ainda alguns livros de enorme interesse histórico. Ligou-se ao coração do atletismo e hoje perpetua o seu nome no coração da modalidade", lê-se no Facebook da Federação Portuguesa de Atletismo.

Foi diretor do Jornal do Benfica, antigo dirigente da Federação Portuguesa de Atletismo, do Sport Lisboa e Benfica, da Associação de Atletismo de Lisboa. Estudioso da modalidade, publicou diversos livros neste âmbito. Entres eles um sobre todos os recordes nacionais do atletismo português. Fez reportagens de vários Jogos Olímpicos e Campeonatos da Europa.

Gostava de dissertar e escrever sobre a profissão de jornalistas. Para ele a "independência não existe. O que pode existir é a isenção - quando existe".

"Eu que ao longo de mais de 60 anos colaborei em diferentes jornais, que neles conheci muita gente boa e outra não tanto: é a convicção mais ou menos generalizada de que o jornalismo e o jornalista são perene expressão da verdade. Ora, tratando-se de simples mortais, todos nós somos suscetíveis de falhar, de errar, até de agir "inclinadamente" - e tanto como os políticos, os intelectuais, os militares, os professores, mas porventura menos que os carpinteiros, estes porque escudados no rigor do metro. Uma pequena dose de humildade faz falta - faz-nos falta - mas parece que não é artigo que se venda em qualquer escola de jornalismo nem que se cultive em todas as redações dos órgãos da Informação. Afinal, todos temos partido, todos temos clube. A independência não existe. O que pode existir é a isenção - quando existe", escreveu Sequeira Andrade.

Exclusivos