Messi ultrapassa Ronaldo e é o melhor do mundo quatro anos depois

Argentino eleito o melhor do mundo pela sexta vez, a primeira desde que o troféu se chama The Best. Ronaldo não esteve presente na cerimónia que se realizou em Milão

Lionel Messi foi o grande protagonista da quarta edição do The Best, gala da FIFA que se realizou em Milão, Itália. O argentino foi eleito melhor jogador do mundo pela sexta vez e ultrapassou Cristiano Ronaldo como o futebolista com mais distinções.

O jogador do Barcelona, que há quatro anos que não era a figura central na entrega dos galardões, junta o prémio de 2019 aos de 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015. Para tal, contribuíram os votos dos capitães das várias seleções nacionais, selecionadores, adeptos e jornalistas - cada um contou 25% para a decisão final.

O central do Liverpool, Virgil van Dijk, era apontado como o principal favorito, até por ter vencido o prémio de melhor jogador para a UEFA, mas o troféu foi parar às mãos do avançado de 32 anos, que em 2018-19 venceu a Liga espanhola e a Supertaça pelo Barcelona e marcou 54 golos (em 56 jogos) entre clube e seleção. Entre esses 54 golos, contabilizam-se 36 no campeonato espanhol e 12 na Liga dos Campeões, que lhe valeram a liderança na tabela de melhor marcador em ambas as competições. Na Copa América, caiu nas meias-finais aos pés do Brasil.

Esta nem foi melhor época do argentino em termos de golos e de títulos, que tem no currículo quatro Champions, três Mundiais de Clubes e três Taças do Rei, troféus coletivos que não conseguiu ganhar ao serviço do Barça na temporada transata. Relativamente a remates certeiros, mostrou pontaria mais afinada em 2014-15 (63 golos), 2012-13 (64), 2011-12 (77) e 2010-11 (59).

Ainda assim, em nada ficou atrás de Cristiano Ronaldo, que conquistou a liga italiana e a Supertaça pela Juventus no seu primeiro ano no clube, marcou 21 golos na Serie A (foi o segundo melhor marcador do campeonato) e, contabilizando todas as provas (seleção nacional incluída), chegou aos 31. O português foi eliminado mais cedo na Liga dos Campeões, mas foi o único dos três finalistas ao The Best que ganhou um troféu a nível de seleções, no caso a Liga das Nações, precisamente na final diante da Holanda de Van Dijk.

Assim sendo, mantém-se o domínio de Messi e Ronaldo que vigora desde 2008 - contabilizando também as Bolas de Ouro, pois o The Best só existe desde 2016 e que o argentino arrecadou este ano pela primeira vez - e que apenas foi quebrado no ano passado, com o croata Luka Modric a romper o longo reinado do português e do argentino, ao vencer os dois prémios. A Bola de Ouro, que há três anos voltou a ser exclusiva da revista France Football, será entregue a 2 de dezembro.

Na classificação divulgada pela FIFA, Messi somou 46 pontos, mais oito do que Van Dijk e dez do que Cristiano Ronaldo. A lista dos primeiros dez fica completa com Mohamed Salah (4.º), Sadio Mané (5.º), Kylian Mbappé (6.º), Frenkie De Jong (7.º), Eden Hazard (8.º), Matthijs De Ligt (9.º) e Harry Kane (10.º).

Messi votou em CR7

Entretanto, a FIFA divulgou os votos de capitães das seleções nacionais, selecionadores e jornalistas de cada país. Cristiano Ronaldo deu o primeiro lugar a De Ligt, o segundo a De Jong e o terceiro a Mbappé. Já Fernando Santos votou em Ronaldo, De Jong e De Ligt e Vítor Serpa em Ronaldo, Van Dijk e Messi.

Curiosamente, Messi atribuiu o segundo lugar a Cristiano Ronaldo, dificultando a si mesmo a conquista do galardão. Porém, deu o primeiro lugar a Sadio Mané e o terceiro a De Jong. Também o capitão holandês Van Dijk não teve problemas em hipotecar as suas hipóteses, votando em Messi em primeiro lugar, relegando os companheiros de equipa Salah e Mané para o segundo e para o terceiro lugares.

Relativamente a treinadores portugueses ao leme de seleções nacionais, Carlos Queiroz (Colômbia) votou em Ronaldo, Messi e Salah por esta ordem; Rui Águas (Cabo Verde), em Ronaldo, Van Dijk e Messi; Hélio Sousa (Barém) em Ronaldo, Messi e Van Dijk; e Paulo Bento (Coreia do Sul) em Van Dijk, Mané e Salah.

Ronaldo no onze do ano

O internacional português, que não compareceu à cerimónia, teve de se contentar com um lugar no melhor onze do ano, ao lado de Alisson (Liverpool), De Ligt (Ajax), Van Dijk (Liverpool), Sergio Ramos (Real Madrid), Marcelo (Real Madrid), De Jong (Ajax), Modric (Real Madrid), Hazard (Chelsea), Messi (Barcelona) e Mbappé (PSG).

No setor feminino, Megan Rapinoe (EUA/Reign FC) venceu o prémio de melhor jogadora do ano.

Relativamente a outros prémios, a selecionadora dos Estados Unidos, Jill Ellis, recebeu das mãos de José Mourinho o prémio de melhor treinador de futebol feminino. Jürgen Klopp (Liverpool) venceu o galardão masculino, que teve Fernando Santos como sétimo classificado.

Alisson Becker (Brasil/Liverpool) e Sari van Veenendaal (Holanda/Arsenal/Atlético Madrid) foram os melhores guarda-redes, o pontapé de bicicleta de Dániel Zsóri (Debrecen FC) ganhou o Prémio Puskas, Marcelo Bielsa e o Leeds arrecadaram o prémio fair play, e Silvia Grecco, a mãe brasileira que narra os jogos do Palmeiras ao filho cego Nickollas em pleno estádio, venceu o prémio destinada aos adeptos.

Poucos minutos após ser conhecido o vencedor, a Federação Portuguesa de Futebol elogiou... Cristiano Ronaldo. "The Best Ever" [melhor de sempre], publicou no Facebook.

E sem visar diretamente a gala The Best, o internacional português deixou uma mensagem enigmática no Instagram. "Paciência e persistência sao duas caracteristicas que diferenciam o profissional do amador. Tudo o que hoje é grande um dia começou pequeno. Você não pode fazer tudo, mas faça tudo o que puder para transformar seus sonhos em realidade. E procure manter em mente que depois da noite sempre vem o amanhecer", pode ler-se, na descrição de uma foto em que surge a ler um livro.

Lista de vencedores (desde 2000)

FIFA The Best

2019 Lionel Messi (Argentina/Barcelona)

2018 Luka Modric (Croácia/Real Madrid)

2017 Cristiano Ronaldo (Portugal/Real Madrid)

2016 Cristiano Ronaldo (Portugal/Real Madrid)

Bola de Ouro da FIFA

2015 Lionel Messi (Argentina/Barcelona)

2014 Cristiano Ronaldo (Portugal/Real Madrid)

2013 Cristiano Ronaldo (Portugal/Real Madrid)

2012 Lionel Messi (Argentina/Barcelona)

2011 Lionel Messi (Argentina/Barcelona)

2010 Lionel Messi (Argentina/Barcelona)

Melhor jogador do mundo FIFA

2009 Lionel Messi (Argentina/Barcelona)

2008 Cristiano Ronaldo (Portugal/Manchester United)

2007 Kaká (Brasil/AC Milan)

2006 Fabio Cannavaro (Itália/Juventus e Real Madrid)

2005 Ronaldinho (Brasil/Barcelona)

2004 Ronaldinho (Brasil/Barcelona)

2003 Zinedine Zidane (França/Real Madrid)

2002 Ronaldo (Brasil/Inter e Real Madrid)

2001 Luís Figo (Portugal/Real Madrid)

2000 Zinedine Zidane (França/Juventus)

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.