Messi fora da seleção por três meses

Depois de ser expulso na Copa América o jogador do Barcelona disse que a Confederação Sul-Americana de Futebol era "corrupta". Agora vai perder três jogos particulares.

Lionel Messi não vai poder jogar pela seleção da Argentina nos próximos três meses e ainda tem de pagar 45 mil euros de multa. Foi esta a pena aplicada pela Confederação Sul-Americana de futebol ao futebolista argentino que depois de ser expulso no jogo de apuramento do terceiro lugar na Copa America chamou "corrupta" à instituição.

Com esta suspensão o atleta do Barcelona (Espanha) não vai poder jogar pela equipa nacional do seu país nos jogos particulares com o Chile e o México, em setembro nos EUA, e com a Alemanha, em Dortmund, a 9 de outubro.

Leia aqui a decisão que envolve a estrela argentina do Barcelona.

Além de ter chamado "corrupta" à Confederação - numa critica a alegado favorecimento ao Brasil por parte dos árbitros - o capitão da equipa argentina faltou à cerimónia de entrega das medalhas às seleções que ficaram nos três lugares do pódio: Brasil (campeão), Peru (2.º classificado) e Argentina.

Para a Confederação Sul-Americana as declarações do avançado - que já tinha suspendo por um jogo e pago uma multa de 1300 euros - são "inaceitáveis".

A decisão foi comunicada num comunicado onde se pode ler: "O jogador não pode jogar jogos oficiais ou particulares pela sua equipa nacional naquele período de tempo [três meses]."

Messi tem agora sete dias para recorrer da decisão.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras