Dragão inteligente vence Marselha e fica a um ponto do apuramento

Os dragões arrancam triunfo por 2-0 em França com golos de Zaidu e Sérgio Oliveira, estão a um passo dos oitavos-de-final da Champions e de encaixar mais de 60 milhões de euros.

O FC Porto deu um passo de gigante rumo aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões ao vencer esta quarta-feira, em França, o Marselha por 2-0, em jogo da 4.ª jornada do grupo C.

A equipa de Sérgio Conceição chegou aos nove pontos, menos três do que o já qualificado Manchester City e mais seis que o Olympiacos. Assim sendo, basta aos portistas um ponto para garantir a qualificação e ultrapassar a fasquia dos 60 milhões de euros de prémios na Champions.

Numa partida em que o Marselha, treinado por André Villas-Boas, nunca mostrou argumentos para conquistar pontos, o FC Porto fez um jogo inteligente e chegou à vantagem por Zaidu Sanusi, que se estreou a marcar de dragão ao peito, e consolidou o triunfo com um penálti de Sérgio Oliveira, que igualou o seu recorde de golos numa só temporada, somando já sete.

Zaidu marca após esvaziar do balão francês

O FC Porto entrou em campo com o conforto de o Olympiacos ter perdido com o Manchester City, um resultado que manteria sempre a equipa de Sérgio Conceição no segundo lugar. Só que essa tranquilidade representava igualmente um desafio, pois os dragões sabiam que uma vitória seria um passo decisivo relativamente ao apuramento, para o qual ficaria a faltar apenas um ponto. E foi a pensar em tudo isso que o treinador portista lançou o sérvio Marko Grujic para dar mais consistência ao meio-campo.

O Marselha, pressionado por ainda não ter pontos nem golos na Champions, sabia que esta era a última oportunidade de sonhar com o apuramento e nos primeiros 20 minutos assumiu a iniciativa, na tentativa de se colocar em vantagem. Contudo, a solidez do FC Porto apenas foi colocada verdadeiramente em causa quando Sanson cabeceou para uma excelente defesa de Marchesín.

Estavam decorridos 15 minutos e, a partir daí, deu-se o esvaziar do balão da equipa de André Villas-Boas que, se já não estava muito confiante, começou a duvidar dela própria e, aos poucos, foi-se expondo à velocidade imprimida pelos laterais portistas, que foram os primeiros focos de desestabilização da defesa francesa.

É bom que se diga que o jogo estava bastante morno, com poucos lances de perigo, como Sérgio Conceição devia ter idealizado. E foi Zaidu Sanusi que quebrou essa monotonia quando aos 37 minutos deu o primeiro sinal de perigo dos dragões. Opôs-se Mandanda, que logo a seguir nada pôde fazer para parar o remate do lateral esquerdo portista, que abria o marcador e fazia o primeiro golo de dragão ao peito.

Era um duro golpe no pouco ânimo dos jogadores do Marselha, que tinham pela frente uma tarefa complicadíssima no segundo tempo.

Esperança de Villas-Boas dura dois minutos

Após o intervalo, o FC Porto recuou um pouco as suas linhas, permitindo que o Marselha assumisse a iniciativa de jogo para que pudesse aproveitar um erro para sair em contra-ataque e "matar" a partida.

Só que os franceses não mostravam arte para chegar ao tão ansiado golo, até que André Villas-Boas resolveu lançar Cuisance, Payet e Dario Benedetto para tentar agitar o ataque quando faltavam 30 minutos para jogar. Não demorou muito até Marko Grujic ser expulso devido a dois amarelos no espaço de nove minutos.

Era a grande oportunidade para os franceses tentarem tirar algo do jogo... Só que não foi. Isto porque, dois minutos volvidos e o argentino Leonardo Belardi derrubou Marega na área. O árbitro assinalou penálti e mostrou o segundo amarelo a defesa do Marselha. Villas-Boas via esfumar-se todas as esperanças em conquistar o primeiro ponto na Champions, sobretudo quando Sérgio Oliveira fez o 2-0 e arrumou com as contas do jogo.

O Marselha ainda tentou salvar a honra do convento, quase sempre por Dario Benedetto, que ainda cabeceou uma bola ao poste, mas nunca se mostrou suficientemente capaz de levar a melhor sobre um FC Porto consistente, equilibrado e eficaz.

Refira-se que a equipa de André Villas-Boas passou a deter o recorde de derrotas consecutivas nesta competição, chegando às 13, ultrapassando o Anderlecht que tinha esta marca negativa desde 2005-06. Só esta época, os franceses somam, além de zero pontos, zero golos marcados e nove sofridos.

FICHA DO JOGO

Estádio Vélodrome, em Marselha
Árbitro: Andreas Ekberg (Suécia)

Marselha - Mandanda; Hiroki Sakai, Alvaro González, Leonardo Balerdi, Jordan Amavi; Kamara (Cuisance, 60'), Rongier, Morgan Sanson (Nagatomo, 78'); Thauvin (Marley Ake, 78'); Valère Germain (Dario Benedetto, 60'), Luis Henrique (Payet, 60')
Treinador: André Villas-Boas

FC Porto - Marchesín; Wilson Manafá, Mbemba, Malang Sarr, Zaidu Sanussi; Jesús Corona (Mehdi Taremi, 78'), Marko Grujic, Sérgio Oliveira (Loum, 90'), Otávio; Luis Díaz (Nakajima, 79'), Marega (João Mário, 79')
Treinador: Sérgio Conceição

Cartão amarelo a Belerdi (29' e 70'), Sanson (36'), Kamara (49'), Thauvin (54'), Marko Grujic (58' e 67'), Payet (85') e Sérgio Oliveira (85'). Cartão vermelho a Marko Grujic (68') e Belerdi (70')

Golos: 0-1, Zaidu Sanusi (39'); 0-2, Sérgio Oliveira (72' gp)

FILME DO JOGO

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG