Marcelo atribui medalha de mérito a atleta guineense que ajudou colega em dificuldades a cortar a meta

Braima Dabó que estuda em Bragança e representa o Maia Atlético Clube, ajudou o atleta Jonathan Busby, de Aruba, uma pequena ilha das Caraíbas, a terminar a prova eliminatória dos 5000 metros nos mundiais de Doha.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta quinta-feira o atleta guineense Braima Dabó "pelo testemunho de humanidade" demonstrado nos Mundiais de atletismo de Doha, prova em que ajudou um colega em dificuldades a cortar a meta, levando-o em ombros.

"Este jovem é duplamente campeão. É campeão porque é muito bom naquilo que faz e é também campeão do espírito desportivo e humano, naquilo que se chama muitas vezes, na versão inglesa, fair play, no respeito pelos outros, sacrifício e colocar isso acima do interesse pessoal", distinguiu o Presidente da República, no Palácio de Belém.

Depois de agraciado pela Federação Internacional de Atletismo com o prémio fair play, Braima Dabó foi distinguido por Marcelo Rebelo de Sousa, que lhe atribuiu a medalha de mérito: "Não é frequente ser entregue a cidadãos não portugueses, mas aqui é um cidadão do mundo, que está a estudar em Portugal e a fazer a ponte entre a sua Pátria e Portugal. Neste sentido, também prestigiou Portugal."

O feito de Dabó foi "um gesto único que todo o mundo viu" e "todo o mundo celebrou" e por isso merece ser distinguido, segundo o PR.

Já o sorridente estudante do Instituto Politécnico de Bragança, explicou que ajudou quem precisava."Só resolvi ajudar alguém que precisava de ajuda. Dei aquilo que poderia dar, como o excelentíssimo senhor Presidente costuma fazer connosco. Lembro-me perfeitamente de uma vez em que foi ao Instituto Politécnico de Bragança e deu-nos a todos nós o colo que é habitual dar a quem precisa, e encorajou-nos. Foi algo semelhante que fiz, dei ajuda a alguém que precisava no momento", defendeu, antes de dar os parabéns a Marcelo Rebelo de Sousa pelo 71.º aniversário.

Braima Dabó, da Guiné-Bissau, que vive em Mirandela, estuda em Bragança e representa o Maia Atlético Clube, saiu do anonimato quando ajudou o atleta Jonathan Busby, de Aruba, uma pequena ilha das Caraíbas, a terminar a prova eliminatória dos 5000 metros nos últimos mundiais de Doha.

Busby quebrou fisicamente e apresentou mesmo dificuldades para se manter em pé a cerca de 250 metros da meta, sendo amparado por Dabó , que o ajudou a concluir a prova. Apesar de terem sido últimos, com um tempo na casa dos 18 minutos, numa prova ganha pelo etíope Selemon Barega (13.24,69 minutos), os dois atletas receberam uma enorme ovação do público presente nas bancadas do Estádio Khalifa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG