Leão vestiu o fato de macaco para emendar expulsão de Renan

O Sporting venceu o Desp. Aves por 3-1, num jogo em que cedo ficou reduzido a dez unidades. Bruno Fernandes assinou mais um golo e já é o segundo melhor marcador da I Liga

Um Sporting de fato de macaco foi este sábado vencer o Desp. Aves, por 3-1, num jogo que começou com uma grande adversidade que foi a expulsão do guarda-redes Renan Ribeiro. Só que depois a equipa de Marcel Keizer, com uma exibição muito segura, acabou por chegar ao triunfo com golos de Luiz Phellype, Mathieu e Bruno Fernandes, graças a uma estratégia que evidenciou as fragilidades da equipa de Augusto Inácio.

O jogo começou então com a expulsão de Renan Ribeiro, que derrubou Luquinhas que se escapava para a baliza do Sporting, depois de um desentendimento entre o guarda-redes do Sporting e Mathieu. Renan entrava assim na história ao ver o cartão vermelho mais rápido deste campeonato e do próprio clube de Alvalade. Um lance que mudava por completo as características da partida.

Augusto Inácio, treinador do Desp. Aves, tinha dito que tinha uma surpresa reservada para esta partida e ela era precisamente Luquinhas como avançado centro, ao lado de Derley, por forma a aproveitar a sua velocidade supersónica para assim ultrapassar os defesas leoninos. No resto, os avenses mantiveram-se fiéis ao esquema tático de três defesas-centrais que depois da expulsão acabou por deixar de fazer sentido.

Reduzido a dez, Marcel Keizer abdicou de Jovane Cabral, a novidade do onze, para fazer entrar Salin, mantendo o sistema, agora com Marcos Acuña a ter de fazer todo o corredor esquerdo. Apesar de tudo, o Sporting manteve o domínio no jogo, embora com vários calafrios causados pela velocidade de Luquinhas, pois claro.

Luiz Phellype volta a faturar

Com muita segurança no seu jogo ofensivo, os leões criaram a melhor oportunidade para marcar com um remate de Bruno Fernandes que Beunardeau defendeu para canto. Era o sinal para aquilo que chegaria aos 24 minutos, quando um cruzamento bem medido de Marcos Acuña encontrou a cabeça de Luíz Phellype que fugiu aos centrais adversários e abriu o marcador. O avançado contratado em janeiro ao Paços de Ferreira marcou assim pela quarta vez na I Liga, todos os golos apontados nas últimas três jornadas.

Apesar de jogar com menos uma unidade, o Sporting estava confortável na partida e só era verdadeiramente incomodado pelo irrequieto Luquinhas, que aos 32 minutos, depois de tabelar com Derley, foi derrubado na área por Salin. Artur Soares Dias não teve dúvidas e assinalou penálti, que Cláudio Falcão aproveitou para empatar o jogo.

Por essa altura a dúvida que se colocava era se Augusto Inácio ia continuar com três centrais em campo, pois era realmente demais tendo em conta que do outro lado apenas estava um avançado: Luíz Phellype. O treinador do Aves manteve o esquema com que iniciou a partida, mas é justo reconhecer que não foi devido a essa opção que acabou por sofrer o segundo golo já perto do intervalo.

Aí todo o mérito para a jogada trabalhada pelos leões na cobrança de um livre, uma vez que Bruno Fernandes ao ver que Jorge Fellipe estava em cima da linha de golo, optou por colocar na área onde a bola acabou por ser desviada por Mathieu para o fundo da baliza. O francês redimia-se do lance da expulsão e levava o Sporting em vantagem para o intervalo.

Leões sólidos e Bruno Fernandes recordista

Para o segundo tempo, Inácio lá tirou um central (Carlos Ponck) para lançar o jovem extremo José Varela. Só que o Sporting recuou as suas linhas, dando a iniciativa de jogo ao Desp. Aves procurando depois explorar o contra-ataque para sentenciar a partida. Num desses lances projetados por Marcel Keizer, Beunardeau negou o golo a Raphinha que surgiu isolado após um passe de Wendel.

Os avenses mostravam uma grande incapacidade no ataque posicional, pois raramente conseguiram abrir espaços na defesa leonina, usando demasiadas vezes os cruzamentos e os remates de longe que nunca causaram verdadeiro perigo. E, nessa altura, a gazela Luquinhas já não incomodava pois fora encostado à esquerda e já não tinha espaço para acelerar.

Numa segunda parte sem grande história, o Sporting acabou por "matar" o jogo aos 84 minutos, quando Ristovski tirou um cruzamento para a cabeça de Bruno Fernandes. O capitão do Sporting assinou o ponto pelo quarto jogo consecutivo, marcando o 16.º golo na I Liga (já é o segundo melhore marcador) e o 28.º na temporada. E assim tornou-se também o médio mais goleador de sempre do Sporting na história do campeonato, superando Balakov, que em 1993/94 marcou 15 golos.

Nos instantes finais, Derley ainda rematou a bola para o fundo da baliza de Salin, mas depois de visionar as imagens o árbitro Artur Soares Dias acabou por anular o lance por causa de uma falta no início da jogada cometida precisamente pelo avançado brasileiro.

O Sporting assinava assim a sétima vitória consecutiva em todas as competições e consolidou o terceiro lugar, deixando o Sp. Braga, que joga este domingo em Vila do Conde, a seis pontos de distância.

A Figura - Marcos Acuña

O argentino acabou por ser o sacrificado da noite, uma vez que com a expulsão Renan Ribeiro, Marcel Keizer teve de tirar do jogo Jovane Cabral para fazer entrar o guarda-redes Salin. Pois bem, Acuña teve então a responsabilidade de fazer todo o corredor esquerdo e fê-lo bem. Foi ele que tirou o cruzamento para o primeiro golo, apontado por Luiz Phellype, e bem ao seu jeito entregou-se à luta. Esteve irrepreensível no momento defensivo e nunca se poupou em ajudar a equipa a ir ao ataque.

VEJA AQUI O RESUMO DA PARTIDA

FICHA DO JOGO

Estádio do CD Aves, na Vila das Aves
Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)

Desp. Aves - Beunardeau; Carlos Ponck (José Varela, 46'), Diego Galo, Jorge Fellipe; Rodrigo Soares,Vítor Gomes (Abdoulaye Diallo, 74'), Luis Fariña (Rúben Oliveira, 86'), Cláudio Falcão, Mato Milos; Derley, Luquinhas
Treinador: Augusto Inácio

Sporting - Renan Ribeiro; Ristovski, Coates, Mathieu, Marcos Acuña; Bruno Fernandes, Gudelj (Idrissa Doumbia, 71'), Wendel; Raphinha, Luiz Phellype (Diaby, 79'), Jovane Cabral (Salin, 7')
Treinador: Marcel Keizer

Cartão amarelo a Luis Fariña (22'), Gudelj, (45'+4), Marcos Acuña (68'), Raphinha (83') e Derley (90'+1). Cartão vermelho a Renan Ribeiro (4')

Golos: 0-1, Luiz Phellype (24'); 1-1, Cláudio Falcão (32' gp); 1-2, Mathieu (44'); 1-3, Bruno Fernandes (84')

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG