Magic Johnson não resiste à crise dos Lakers e demite-se

Antiga estrela da NBA surpreende e anuncia saída do cargo de presidente da equipa de Los Angeles, que falhou o apuramento para os playoffs

Numa noite que estava antecipadamente marcada pelas despedidas anunciadas de jogadores históricos como Dirk Nowitzki (Dallas Mavericks) e Dwyane Wade (Miami Heat), uma outra despedida apanhou toda a gente de surpresa na NBA. Antes do último jogo dos Los Angeles Lakers nesta temporada, Magic Johnson improvisou uma conferência de imprensa nos corredores do Staples Center para anunciar a sua renúncia ao cargo de presidente que ocupava há pouco mais de dois anos.

Nomeado em março de 2017 como a figura certa para devolver a ilusão a uma franquia histórica a atravessar uma fase negra, a antiga glória dos Lakers, provavelmente o mais icónico jogador da história da formação de L. A., não resistiu à crise de resultados e resolveu bater com a porta no final de uma temporada que viu os Lakers falharem mais uma vez os playoffs, na primeira época da super estrela LeBron James com o uniforme púrpura e amarelo, ao terminarem a época regular com 37 vitórias e 45 derrotas, no décimo lugar da conferência Oeste.

LeBron foi a grande conquista de Magic Johnson como presidente dos LA Lakers, mas nem a contratação do extremo mudou a sorte da franquia e Lebron James acabou mesmo por se ver fora dos playoffs da NBA pela primeira vez desde 2005. Ora, o fracasso desportivo e a perspetiva de dolorosas mudanças no próximo defeso levaram Magic a dizer basta. "Eu sou um espírito livre que vivia algemado nestes últimos tempos. E eu não gosto disso. Tinha uma vida mais divertida antes de aceitar este trabalho, quando era o embaixador ou o irmão mais velho de toda a gente", disse o antigo jogador perante os jornalistas.

Magic não resistiu às polémicas internas e à luta de fações sobre questões fundamentais como a demissão ou não do treinador Luke Walton. Na conferência de imprensa improvisada, referiu ter-se fartado "de facadas nas costas e rumores" ao longo da época. "Amanhã teria de tomar decisões que iriam afetar a vida de alguém e eu não quero fazer isso. Quero voltar a divertir-me", disse o presidente demissionário.

Emocionado, Magic disse não ter comunicado pessoalmente à proprietária e amiga Jeanie Buss a sua saída. "Alguém vai ter de lhe comunicar porque eu sei que não consigo olhá-la nos olhos e dizer-lhe isso sem começar a chorar. Nós nunca discutimos ou discordámos e eu não quero discutir com ela", justificou, deixando uma mensagem de esperança aos fãs: "Esta equipa está a ir na direção certa. Acredito nisso."

Os Lakers reagiram com um tributo a Magic num breve comunicado, agradecendo "tudo o que ele fez pela franquia, enquanto jogador, embaixador e executivo". E Jeanie Buss recorreu ao Twitter para dizer: "Earvin, adorei trabalhar lado a lado contigo. Trouxeste-nos longe e nós vamos continuar a jornada. Adoramos-te."

Fora dos playoffs pela sexta temporada consecutiva, a história formação de Los Angeles continua a sua espiral depressiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG