Portugal está no Euro 2020 e a classe de Bernardo é à prova de lama

Seleção nacional garante oitava presença na fase final do Campeonato da Europa. Dois passes magistrais de Bernardo Silva ajudaram a desequilibrar jogo difícil no Luxemburgo a favor do detentor do troféu (0-2)

Portugal garantiu este domingo o apuramento para o Euro 2020 perante milhares de emigrantes no Luxemburgo, mas para festejar a oitava presença na fase final a seleção nacional teve a difícil tarefa de jogar futebol no batatal do estádio Josy Barthel e ultrapassar um adversário modesto mas atrevido, solto de pressão e com uma estratégia muito bem definida, que complicou a vida à seleção nacional até ao apito final.

Ainda a equipa das quinas procurava assentar o seu sistema híbrido entre o 4x3x3 e o 4x4x2, com Pizzi aberto na direita e Bernardo Silva e Bruno Fernandes a alternarem à esquerda, mas mais por dentro, e já surgiam más notícias de Belgrado. A Sérvia colocou-se em vantagem diante da Ucrânia e ficou virtualmente qualificada para o Campeonato da Europa.

Sabendo ou não o que estava a acontecer no outro encontro do grupo, Portugal sentia bastantes dificuldades para ligar o jogo e mostrava-se incapaz de sair em transições, com André Silva e Cristiano Ronaldo praticamente a não disporem de situações de finalização. Do outro lado, o Luxemburgo procurava esconder a bola de Portugal e conseguia entrar com perigo na área lusa, aproveitando a autêntica autoestrada em que se tornou o corredor esquerdo português, com Raphael Guerreiro demasiado exposto e com dificuldades em reagir às bolas nas costas.

Entretanto surgiu de Belgrado a notícia do golo da Ucrânia, que chegava ao empate diante da Sérvia, resultado que dava o apuramento a Portugal. Porém, era preciso fazer mais em campo e aí apareceu o génio de Bernardo Silva. O príncipe desta seleção, apenas superado no estatuto pelo rei Ronaldo, voltou a ser decisivo ao fazer um passe longe fantástico pelo ar - à prova de lama - para Bruno Fernandes, que se desmarcou bem, fez uma receção orientada e fuzilou o guarda-redes luxemburguês. Aos 40 minutos, Portugal respirou um pouco melhor.

Na segunda parte os homens de Fernando Santos entraram melhor, mas o golo da tranquilidade tardava em chegar e no horizonte pairava a ameaça do golo do Luxemburgo, numa altura em que a Sérvia já se tinha recolocado em vantagem em Belgrado.

Depois de alguns sustos, foi necessário esperar pelo minuto 86 para Cristiano Ronaldo marcar o 99.º golo pela seleção nacional - está a dez do recordista mundial, o iraniano Ali Daei - e confirmar o apuramento, tocando a bola para o fundo das redes na sequência de um lance algo atabalhoado na área adversária, na sequência de mais um passe fantástico de Bernardo Silva para o recém-entrado Diogo Jota.

A qualificação da seleção nacional até acabou por ser oficial ainda antes do apito final no Luxemburgo, porque a Ucrânia empatou em Belgrado ao cair do pano e esse jogo terminou minutos antes.

Portugal é o 17.º apurado

Portugal junta-se assim a Bélgica, Itália, Rússia, Polónia, Ucrânia, Espanha, Turquia, França, Inglaterra, República Checa, Finlândia, Suécia, Alemanha, Holanda, Áustria e Croácia, tornando-se na 17.ª seleção a garantir a presença na fase final do Campeonato da Europa.

Os dois primeiros de cada um dos 10 agrupamentos qualificam-se para a fase final, enquanto as restantes quatro vagas sairão dos play-offs, a disputar pelos quatro melhores classificados de cada uma das quatro ligas da primeira edição da Liga das Nações que não conseguirem o apuramento direto. A fase final do Europeu de 2020 realiza-se de 12 de junho a 12 de julho, em 12 cidades, de 12 países.

O sorteio da fase de grupos vai realizar-se a 30 de novembro, em Bucareste, mas já se sabe que a Itália ficará no Grupo A, Rússia no Grupo B, Holanda no Grupo C, Inglaterra no Grupo D, Espanha no Grupo E e Alemanha no Grupo F, para que possam jogar nas cidades dos respetivos países. Ainda assim, nada disso interfere na composição dos potes: apenas Bélgica, Itália e Ucrânia têm confirmada desde já a inclusão no pote 1. Os vencedores dos playoffs serão colocados nos vários grupos na qualidade de últimos cabeças de série.

Já depois do sorteio, em março do próximo ano, vão realizar-se quatro playoffs para apurar as quatro últimas vagas no Euro 2020, e que premeiam o desempenho de 16 seleções na Liga das Nações. Neste momento, já se sabe que a Islândia vai participar no playoff relativo à Liga A, Bósnia no da Liga B, Escócia, Noruega e Sérvia no da Liga C e Geórgia, Macedónia do Norte, Kosovo e Bielorrúsia no da Liga D. Bulgária (Liga A, B ou C), Israel (A, B ou C), Irlanda do Norte (A ou B) e Roménia (A, B ou C) também já sabem que vão participar no playoff, mas ainda não sabem qual.

A figura: Bernardo Silva

Não assinou uma exibição tão exuberante como frente à Lituânia na quinta-feira, até porque foram jogos com contextos diferentes, mas voltou a ser essencial para a seleção portuguesa, ao fazer a assistência para o golo inaugural e colocar a bola na área no lance do 0-2.

Ao contrário do que tem sido habitual no conjunto orientado por Fernando Santos, o médio do Manchester City surgiu em terrenos mais recuados e mais centrais, com a missão de orquestrar os ataques de Portugal de frente para o jogo, aparecendo muitas vezes ao lado de Danilo. E foi precisamente ainda no meio-campo defensivo português que fez um passe magistral para Bruno Fernandes dar vantagem à equipa das quinas, aos 40 minutos.

Com cinco assistências na fase de qualificação, colocou a cereja no topo do bolo de um ano de 2019 que tem sido fantástico para ele.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio Josy Barthel, no Luxemburgo.

Assistência: Cerca de 8.000 espetadores.

Árbitro: Jesús Gil Manzano (Espanha).

- Luxemburgo: Moris, Jans, Chanot, Gerson, Carlson, Barreiro Martins (Sinani, 74), Skenderovic, Vicent Thill (Joachim, 82), Turpel (Olivier Thill, 59), Rodrigues e Deville.

Selecionador: Luc Holtz.

- Portugal: Rui Patrício, Ricardo Pereira, José Fonte, Rúben Dias, Raphaël Guerreiro, Danilo, Bruno Fernandes (Rúben Neves, 90), Pizzi (João Moutinho, 62), Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo e André Silva (Diogo Jota, 71).

Selecionador: Fernando Santos.

Disciplina: Cartão amarelo para Devile (07), Chanot (16) e Bernardo Silva (70).

Marcadores: 0-1, Bruno Fernandes, 39 minutos; 0-2, Cristiano Ronaldo, 86.

Filme do jogo:

Exclusivos