O "até já" do mais titulado e estrangeiro com mais jogos da história do Benfica

Luisão despede-se esta terça-feira dos relvados como o futebolista com mais títulos conquistados com a camisola do Benfica, clube ao qual chegou na época 2003/04 e no qual deve manter-se como diretor para as relações internacionais.

Aos 37 anos, Luisão antecipou o final do contrato de um ano, assinado na última pré-época, depois de ainda não ter sido utilizado por Rui Vitória e de não figurar na lista de inscritos para a Liga dos Campeões.

Luisão, que chegou ao Benfica pouco antes de Luís Filipe Vieira ser eleito para o primeiro mandato, abandona a competição com 20 troféus conquistados pelos encarnados e com o título de estrangeiro com mais jogos disputados de águia ao peito (538) e o segundo absoluto, só ultrapassado por Nené (578).

O brasileiro, que fez o último jogo oficial em 13 de maio, na última jornada da I Liga frente ao Moreirense (1-0), conquistou seis campeonatos, três Taças de Portugal, quatro Supertaças Cândido Oliveira e sete Taças de Liga.

Lançado pelo espanhol José António Camacho, o brasileiro, que soma 44 internacionalizações com a camisola da canarinha, conheceu mais cinco treinadores no Benfica: Ronald Koeman, Fernando Santos, Quique Flores, Jorge Jesus e Rui Vitória.

A cumprir a sua 16.ª época na Luz, Luisão passa do relvado para um gabinete, com um total de 47 golos marcados, o primeiro dos quais no jogo de estreia na I Liga no empate 3-3 com o Belenenses em setembro de 2003.

Um dos golos mais emblemáticos da carreira de Luisão no Benfica foi o apontado em 14 de maio de 2005, na Luz, frente ao Sporting, que garantiu a vitória encarnada e foi decisivo para a conquista do título de campeão português, que escapava ao Benfica desde 1993/94.

Anderson Luis da Silva, Luisão, nasceu em Amparo, no Brasil, começou a carreira em 1999, no Juventus de São Paulo, passando depois pelo Cruzeiro.

Durante quatro épocas ao serviço do clube de Minas Gerais conquistou o campeonato mineiro e o Brasileirão, em 2003, a Taça do Brasil (2000), a Taça Sul-Minas (2001 e 2002) e o supercampeonato mineiro (2002).

Pela seleção brasileira, disputou 44 jogos e marcou três golos, um dos quais na final da Copa América de 2004, frente à Argentina, no encontro que lhe deu o primeiro troféu conseguido ao serviço da canarinha, antes dos triunfos na Taça das Confederações, em 2005 e 2009.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras