Lazio e AC Milan empatam e perdem terreno para a líder Juventus

Os milaneses estiveram em vantagem até bem perto do final do jogo. Mas um golo de Correa nos descontos repôs a igualdade

Lazio e AC Milan empataram este domingo a um golo, em jogo da 13ª jornada da liga italiana de futebol, perdendo terreno para a líder Juventus e o Inter de Milão, únicas equipas das cinco primeiras classificadas que venceram.

O jogo foi sempre muito equilibrado e parecia encaminhar-se para um empate sem golos, mas o costa-marfinense Franck Kessie, aos 78 minutos, abriu o marcador com um remate feliz, que desviou num defesa da Lazio e traíu o guarda-redes o albanês Thomas Strakosha.

Do outro lado, o guarda-redes milanês, Gianluigi Donnarumma, fez uma defesa espantosa aos 71 minutos, a negar em cima da linha de baliza o golo à Lazio, depois de um cabeceamento potente do avançado brasileiro Wallace.

A Lazio repôs a igualdade aos 90+4 minutos, já numa fase de assédio desesperado, com a bola a ser colocada diretamente por alto na área e o argentino Joaquín Correia a dominar com o peito e a bater Donnarumma, quando o AC Milan parecia ter os três pontos 'no bolso'.

O Correa permitiu à Lazio manter o quarto lugar, com 23 pontos, mais um do que o AC Milan, quinto classificado, numa jornada em que a surpresa maior foi o nulo cedido pelo Nápoles na receção ao Chievo, resultado que o distanciou ainda mais a Juventus no topo da classificação.

A 'vecchia signora', que venceu no sábado o SPAL por 2-0, com o avançado português Cristiano Ronaldo a marcar um dos golos, lidera a Série A, com 37 pontos, seguida do Nápoles, com 29, e do Inter de Milão, com 28.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.