Goleada e uma dupla de ataque que promete. Benfica é líder da I Liga

Clube da Luz goleou o Portimonense por 4-0 com uma segunda parte de grande nível e Chiquinho e Vinícius (dois golos) a dar cartas.

O Benfica é o novo líder isolado da I Liga. A equipa de Bruno Lage goleou nesta quarta-feira o Portimonense na Luz, por 4-0, e beneficiou do empate do FC Porto na Madeira para se instalar no primeiro lugar, agora a dois pontos dos dragões. Uma boa segunda parte e as boas atuações de Chiquinho e Vinícius explicam em grande parte este triunfo gordo.

Bruno Lage mexeu na equipa relativamente ao jogo com o Tondela, mas desta vez foi feliz nas alterações, sobretudo no ataque, onde estreou uma nova dupla que se exibiu a bom nível. Chiquinho não marcou mas foi um dos melhores em campo. E Vinícius confirmou aquilo que reclamava há muito - a titularidade - com dois bons golos. Ao todo foram cinco alterações: saíram Ferro, Florentino, Pizzi, Taarabt e Seferovic; entraram Jardel, Samaris, Gedson, Chiquinho e Vinícius.

O Portimonense entrou bem jogo e deixou logo o aviso de que não ia jogar jogar na Luz para defender o resultado, apesar de António Folha ter apostado numa linha de cinco defesas. Com transições rápidas sempre que ganhava bolas no meio-campo, e quase sempre por iniciativas de Tabata, os algarvios chegaram por quatro vezes à área do Benfica... nos primeiro quatro minutos. E aos 11' podiam mesmo ter causado surpresa na Luz, mas Vlachodimos negou com os pés o golo a Aylton Boa Morte.

Aos poucos o meio-campo do Benfica foi ganhando fôlego, e no ataque Chiquinho e Vinícius (avançados móveis) começavam a criar desequilíbrios. E a equipa da Luz chegou ao golo aos 17 minutos. Na sequência de um canto de Chiquinho, Gabriel desviou ao primeiro poste e André Almeida surgiu sem marcação ao segundo a cabecear para o fundo das redes de Ricardo Ferreira. Mais uma vez um defesa a marcar, tal como com Tondela tinha sido o central Ferro. E novamente na sequência de um canto. A primeira parte terminou com o jogo aberto (seis remates contra quatro), apesar de o Benfica ter mais posse de bola (63%/37%).

A segunda parte começou da melhor maneira para o Benfica, que logo no primeiro minuto chegou ao segundo golo, com Rúben Dias a surgir na pequena área a dar o melhor seguimento a um cruzamento de Grimaldo. Novamente um golo de um defesa.

Numa posição mais confortável, o Benfica passou a dominar o jogo e partiu para um segundo tempo de grande nível. Chiquinho (boa exibição, sempre a criar desequilíbrios) quase fez o terceiro aos 52', mas permitiu a defesa de Ricardo Ferreira após uma boa ação individual.

Depois começou o festival de Vinícius, o goleador que chegou no verão ao Benfica por 17 milhões de euros, quase sem ter jogado pelo Mónaco (onde estava cedido pelo Nápoles), e que nesta quarta-feira mereceu a confiança de Bruno Lage. Aos 63', o avançado brasileiro, após receber um passe de Grimaldo, ganhou em velocidade a Jadson, fintou o guarda-redes dos algarvios e fez o terceiro.

As bancadas ainda festejavam e já Vinícius voltava a causar estragos dois minutos depois. Na sequência de um grande passe de trivela de Chiquinho, Vinícius rematou de primeira de pé esquerdo e bisou. A nova dupla de ataque do Benfica estava definitivamente aprovada.

Até ao final, o Benfica teve mais ocasiões para chegar à mão cheia, já sem os dois senhores do ataque em campo (Chiquinho e Vincíus deram os lugares a Pizzi e Seferovic). A mais flagrante aos 81', com um remate de Gedson que o guarda-redes do Portimonense travou com alguma sorte. O jogo terminou e mostrou finalmente um Benfica (na segunda parte) dominador e a jogar bom futebol.

Cumpriu-se a tradição e o Benfica continua invicto em casa nos jogos frente aos algarvios - em 24 partidas são já 20 vitórias e quatro empates. O único triunfo da equipa de Portimão diante das águias em toda a história (43 desafios) aconteceu na época passada, no Algarve, e os jogadores de António Folha nem precisaram de marcar golos, pois Jardel e Rúben Dias encarregaram-se de marcar na própria baliza.

Refira-se que o Benfica somou a sexta vitória consecutiva na I Liga (desde que a 24 de agosto perdeu em casa com o FC Porto) e o terceiro jogo no campeonato sem sofrer golos.

A FIGURA: VINÍCIUS

Há muito que o avançado brasileiro de 24 anos contratado ao Nápoles por 17 milhões de euros reclamava a titularidade. Nesta quarta-feira, o treinador Bruno Lage decidiu apostar numa dupla de ataque inédita, com Vinícius e Chiquinho. E ambos passaram no teste com distinção. O brasileiro que em Portugal se mostrou no Rio Ave bisou na segunda parte com dois golos que mostraram todo o oportunismo. O primeiro a fintar o guarda-redes do Portimonense e no segundo a dar o melhor seguimento a uma assistência de trivela de Chiquinho. E já vem em seis golos com a camisola do Benfica (quatro no campeonato e dois na Taça de Portugal).

Veja aqui os golos

FICHA DO JOGO

Benfica - Portimonense, 4-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores: 1-0, André Almeida, 17 minutos; 2-0, Rúben Dias, 47; 3-0, Vinícius, 63; 4-0, Vinícius, 65.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben, Jardel, Grimaldo, Gedson, Samaris, Gabriel (Jota, 81), Cervi, Chiquinho (Pizzi, 71) e Vinicius (Seferovic, 67).

Treinador: Bruno Lage.

Portimonense: Ricardo Ferreira, Koki Anzai, Hackman (Fernando, 78), Lucas, Jadson, Rodrigo Freitas, Pedro Sá, Lucas Fernandes (Rômulo, 72), Tabata, Iury e Aylton (Marlos, 58).

Treinador: António Folha.

Árbitro: Manuel Mota (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Lucas Fernandes (28) e André Almeida (55).

Assistência: 42.037 espetadores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG