Lage despede-se dos adeptos à espera de apoio para novas conquistas

Treinador campeão nacional saiu do comando técnico do Benfica na semana passada, depois de uma série de maus resultados.

Bruno Lage despediu-se esta terça-feira dos adeptos do Benfica com um agradecimento e votos de que voltem rapidamente a apoiar a equipa nos estádios e a empurrá-la para novas conquistas. "Depois de me despedir do presidente, do diretor desportivo, do diretor-geral e de todos os jogadores, bem como de todos os que trabalham diariamente no Seixal, quero, agora, despedir-me de todos vocês, os adeptos, que são a essência deste clube único no mundo", escreveu Bruno Lage, numa mensagem a que a agência Lusa teve acesso.

O treinador natural de Setúbal, de 44 anos, deixou o comando técnico do campeão Benfica em 29 de junho último, após a derrota por 2-0 no terreno do Marítimo, que deixou os encarnados a seis pontos do líder FC Porto, depois da 29.ª jornada da I Liga.

"O mais difícil é afastarmo-nos de algo em que acreditamos. E esse momento chegou. Muito obrigado. Que a onda vermelha volte rapidamente a apoiar a equipa nos estádios e a empurrá-la para novas conquistas. Agora, o mais importante é que o Benfica volte rapidamente às vitórias, como a de ontem... como a de amanhã", prosseguiu Lage, rematando com o lema do Benfica: "E Pluribus unum [de todos, um]".

Bruno Lage chegou à equipa principal da Luz em 3 de janeiro de 2019, substituindo, então, provisoriamente Rui Vitória, quando o Benfica era quarto na I Liga, a sete pontos da liderança. Somou quatro vitórias, renovou e conquistou o título de campeão de 2019-20.

Começou a época a ergueu a Supertaça Cândido Oliveira, ao golear o Sporting, por 5-0, mas saiu antes do fim. Como treinador do Benfica, somou 51 vitórias, 12 empates e 13 derrotas (181-76 em golos), em 76 jogos. Foi substituído no banco pelo antigo adjunto, Nelson Veríssimo, que venceu na receção ao Boavista, por 3-1, no sábado, mantendo-se a seis pontos da liderança, quando faltam quatro jornadas para o fim do campeonato.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG