Lage acredita numa boa Champions e compara Seferovic ao empregado do McDonalds

O treinador do Benfica garantiu que acredita no projeto de chegar a um título europeu com a aposta nos miúdos, cuja qualidade diz custar muitos milhões. E ainda fez a defesa do avançado suíço, apesar de não concordar com a forma como festejou o golo com o RB Leipzig.

Bruno Lage voltou a falar sobre as opções que tomou no jogo com o RB Leipzig e sobre as ambições europeias do Benfica. "Acredito muito que vamos fazer uma Champions à altura da história do Benfica", frisou, garantindo que acredita "muito" no projeto idealizado pelo presidente Luís Filipe Vieira de atingir um título europeu com base nos jogadores formados no Seixal.

"Com grande parte destes jovens fomos a duas finais de Youth League. Diziam que era impossível termos uma equipa campeã com base nos miúdos, conseguimos. Dizem que é impossível ser grande na Europa com miúdos, mas estamos a dar os primeiros passos, com o tempo vamos lá chegar. Há o projeto e o acreditar muito nestes jovens, no Chiquinho, no Gabriel... Não me tirem a vontade de acreditar, acredito muito que vamos fazer uma Champions a altura do Benfica", frisou.

O treinador dos encarnados lembrou depois que sempre quis "um plantel competitivo e curto" e para isso não há outra alternativa se não apostar nos jovens da formação e deu exemplos. "Quanto custa no mercado um jogador de tremenda qualidade como o Tomás Tavares? Eu não senti a diferença em relação ao André Almeida no jogo com o Leipzig. Hoje dizem que o Florentino é uma ausência na equipa, mas qual foi o primeiro jogo dele? Agora, saiu ele e entrou o Fejsa e não se notou. Se quisermos contratar um jogador da qualidade destes custam 60 milhões? O Benfica não tem capacidade para os contratar. Este é o nosso caminho, ainda por cima com a qualidade que temos em casa. Temos de perceber que o projeto e o caminho não tira a vontade de fazer muito e não fizemos uma exibição que envergonhasse os benfiquistas, criámos oportunidades e se tivéssemos marcado as opiniões seriam outras. Fico com a sensação de que as crónicas que não saíram após o jogo com o Galatasaray, saíram agora", frisou, em jeito de responder aos críticos, recordando uma partida da Liga Europa em que lançou vários jogadores da formação na época passada.

Sobre o jogo com o RB Leipzig, Bruno Lage deixou uma garantia: "Não faço gestão, o que faço é, em função da nossa forma de jogar e o momento de cada jogador, colocar os melhores em campo para cada partida. Até determinado momento, mantivemos a mesma equipa, mas agora com jogos de três em três dias tenho de decidir as opções a tomar em cada momento."

O técnico reafirmou que o facto de André Almeida ter ficado de fora tem a ver com "o muito tempo sem competir" do defesa, que leva a que "demore mais tempo a recuperar entre jogos". "Com o Gil Vicente pensamos em substituí-lo mas como estava 2-0 e não tínhamos a capacidade de gerir o jogo com bola ficou em campo. Como não estava a 100% para o jogo da Liga dos Campeões, decidimos colocar o Tomás Tavares. Esta é a nossa forma de pensar. Não entenderam a substituição do Raul de Tomás no jogo com o Gil Vicente, se calhar depois perceberam o porquê quando foi titular com o Leipzig. Não podíamos facilitar com o Gil Vicente, vejam o que aconteceu um pouco por toda a Europa."

Lage reforçou que na Champions apresentou "a melhor equipa para ganhar o jogo". "Lancei o Cervi porque é o melhor a pressionar, por isso jogou e bem. Se tivesse marcado aquele golo em que apareceu na cara do guarda-redes teria sido o herói", justificou.

Seferovic e o empregado do mês no McDonalds que queimou as batatas

Outro dos temas abordados na conferência de imprensa de antevisão ao jogo deste sábado com o Moreirense foi o gesto de Seferovic depois de marcar o golo ao Leipzig, como se estivesse a mandar calar os adeptos. Bruno Lage não fugiu à questão e admitiu que o avançado suíço "tem de saber conviver" com as críticas.

"Olhamos para ele e parece uma pessoa fechada, quase como um militar, mas é muito tranquilo e vive o melhor momento da sua vida porque foi pai. O Seferovic gosta muito do Benfica, por isso renovou e sinto que os adeptos gostam do homem que mais trabalha para a equipa no ataque e que na época passada foi o melhor marcador", frisou, considerando no entanto que aquele gesto "nem foi tanto para os adeptos". "Na conferência de imprensa da Champions perguntaram-lhe várias vezes pelos golos... acho que foi mais por isso. Mas não deve ter uma reação daquelas para ninguém", justificou.

"O Seferovic está numa situação em que parece que foi o empregado do mês no McDonalds e no dia seguinte deixou queimar as batatas fritas e levou uma dura do chefe. Se queremos jogar como equipa, com comportamentos defensivos e ofensivos, os avançados têm de correr muito. Vejam quanto correram os avançados do Atlético de Madrid e até do Leipzig... Estou muito satisfeito com o trabalho do Seferovic, que é um atleta que corre tanto e ainda por cima marca 21 golos num campeonato", acrescentou, garantindo que "nunca" o sentiu ansioso por não marcar golos.

Finalmente, sobre a visita a Moreira de Cónegos, Bruno Lage disse esperar "um adversário muito competitivo e organizado", razão pela qual espera um desafio "difícil por ser num campo mais pequeno que o habitual". O técnico encarnado lembrou que o Moreirense tem "um registo interessante em casa, onde ainda não sofreu golos", pelo que "o Benfica tem de estar ao melhor nível para ganhar".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG