Benfica nos 'oitavos' da Taça após vencer Arouca com golo nos descontos

Encarnados receberam o Arouca em jogo a contar para a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal. Rui Vitória fez várias alterações, mas foi do banco que veio a vitória

O Benfica precisou de sofrer esta quinta-feira para vencer o Arouca por 2-1 e seguir em frente para os oitavos-de-final da Taça de Portugal. Os encarnados estiveram a perder no encontro e deram a volta, com o segundo golo a surgir já nos descontos, marcado por Rafa, que saiu do banco ao intervalo.

Com várias novidades no onze (Corchia, Conti, Alfa Semedo, Zivkovic), Rui Vitória surpreendeu logo de início ao apostar em Krovinovic, que voltou a jogar oficialmente 10 meses e dois dias depois de se ter lesionado gravemente. Com Seferovic e Jonas na frente, o Benfica alinhou em 4x4x2, e encontrou um Arouca em bloco baixo.

No entanto, a pouca velocidade do jogo encarnado - que mesmo assim ainda chegava para um par de remates pouco perigosos e alguns lances que assustaram, mas pouco, a defesa do Arouca - foi castigada pelo Arouca por volta do minuto 20. Numa jogada rápida e após uma falha de Conti, a bola sobrou para Bukia, um dos melhores em campo, que de trivela fez um belo golo, gelando ainda mais as poucas pessoas que se deslocaram ao Estádio da Luz.

Seferovic e Jonas quase empataram, logo de seguida, mas o jogo adormeceu e a equipa do Benfica começou a parecer bastante desconfortável, mesmo tendo quase sempre a bola. Bastou ao Arouca pensar e efetivamente pressionar um pouco mais à frente para numa jogada rápida, com uma grande correria de Seferovic, a bola sobrar para Jonas que fez o empate, já em cima do intervalo.

Ao intervalo, Rafa entrou para o lugar de Krovinovic - sem ritmo, mas mexido -, e a meio do segundo tempo o jogo partiu-se um pouco, surgindo ocasiões para ambas as equipas, mesmo que a bola estivesse maior parte do tempo nos jogadores de camisolas encarnadas. E se aos 83' Svilar faz uma grande defesa e depois, a centímetros dele, um jogador do Arouca não completa um remate de calcanhar, dez minutos depois Rafa não perdoou após cruzamento de Seferovic e selou a vitória da equipa da Luz.

Até ao final, destaque para a expulsão do jogador do Arouca Soares (um dos melhores) após entrada dura sobre Rafa, que gerou alguma confusão entre os jogadores e os bancos. Depois de tudo sanado, o árbitro Hélder Malheiro apitou para o final do encontro.

O Benfica, numa exibição frente a uma equipa fechada que se foi desinibindo, acabou por jogar bem apenas a espaços na segunda parte e a marcar o golo da vitória quando já se esperava o prolongamento. Contudo, Rui Vitória e os seus jogadores têm o mérito de não terem ficado a ver os minutos passar e terem tentado que esse prolongamento não chegasse, jogando mal ou bem. E conseguiram.

Exclusivos