Keizer nunca convenceu figuras sportinguistas, que encaram saída com naturalidade

Dias Ferreira defende que o holandês nunca foi treinador para os leões. Abrantes Mendes via uma equipa fisicamente de rastos e Nélson, ex-jogador, defende que o Sporting jogava mal e sob grande instabilidade.

"Obviamente que a saída de Marcel Keizer foi a decisão certa. Tal como tinha sido uma decisão errada convidá-lo para treinador do Sporting há 295 dias". Esta é a opinião transmitida ao DN por Dias Ferreira, antigo dirigente leonino e candidato derrotado nas últimas eleições.

Na opinião desta figura sportinguista, "nada indicava que Marcel Keizer fosse treinador para um clube desta dimensão, como o tempo se encarregou de provar". Quanto ao sucessor, entende que Leonel Pontes "é uma pessoa competente, embora não tenha grande experiência como treinador principal de equipas seniores". Dias Ferreira sublinha ainda que Pontes "é uma pessoa da casa, que conhece bem o Sporting e isso só lhe trará vantagens". De resto, na sua opinião, "não será difícil fazer melhor do que Marcel Keizer".

O antigo dirigente dos verdes e brancos defende que esta acaba por ser uma boa altura para a mudança no comando técnico, "uma vez que o campeonato vai parar por duas semanas e o mercado acaba de fechar, o que dará alguma margem para que Leonel Pontes se adapte às novas funções". "A ver vamos se será apenas uma solução interina ou se irá permanecer até ao final da época", atirou.

Dias Ferreira não esconde o desagrado com o trabalho da atual direção. "Não estou desiludido, pois nunca estive iludido. Mas a verdade é que o Sporting está no fosso, a quilómetros de distância dos principais clubes portugueses, em virtude de uma deficiente organização e de ter uma estrutura amadora". Na opinião de Dias Ferreira, "foi ridículo o que se viveu no último dia de mercado". O ex-dirigente sustenta que "um clube com a grandeza do Sporting não pode ver-se envolvido nestas trocas de jogadores, em que tudo foi deixado para o último dia, mostrando como a época foi muito mal preparada".

Abrantes Mendes via "uma equipa muito mal preparada"

Sérgio Abrantes Mendes entende que Leonel Pontes pode vir a revelar-se uma boa escolha para o cargo de treinador do Sporting. "Tem feito uma excelente carreira na equipa de sub-23, com cinco vitórias em cinco jogos e goleadas sucessivas. Isso mostra a sua competência, apesar de reconhecer que não tem grande experiência como técnico principal", referiu ao DN.

A propósito da saída de Marcel Keizer, o antigo dirigente dos leões confessa não ter "opinião suficientemente avalizada", mas não deixa de referir que "a equipa estava muito mal preparada, especialmente do ponto de vista físico". Sérgio Abrantes Mendes dá o exemplo do que sucedeu em jogos recentes. "Com o Benfica, a equipa aguentou 60 minutos e depois estoirou. Com o Marítimo idem e com o Sp. Braga acabou de rastos. Não é normal", defendeu.

Apesar de garantir que continua a apoiar a atual direção, o juiz-desembargador chama a atenção para a má estratégia comunicacional que tem sido seguida. "É importante informar os sócios a respeito da real situação do clube, sob pena deles não perceberem determinadas decisões que são tomadas. Ou seja, é preciso fazer uma radiografia e mostrá-la aos associados, explicando de forma clara a estratégia que tem sido seguida".

Nélson não acredita que Pontes fique até ao final da época

Fernando Nélson, ex-defesa direito do Sporting, acredita que Leonel Pontes será apenas uma solução interina. "Não acredito que fique até ao final da época. Aliás, os dirigentes certamente aproveitaram esta paragem no campeonato para terem tempo para procurar um treinador que venha de fora do clube", referiu ao DN.

O antigo internacional português também não ficou surpreendido com a saída de Marcel Keizer: "Na minha opinião, o mal já vinha da época passada. O holandês começou muito bem, com goleadas nos primeiros jogos, mas depois da primeira derrota, em Guimarães, a equipa nunca mais se encontrou".

Nélson defende que o Sporting "não jogava bom futebol e mesmo as vitórias na Taça de Portugal e na Taça da Liga foram obtidas com muito sofrimento, nas grandes penalidades, com o FC Porto a jogar melhor em ambas as ocasiões". Ainda assim, concede que "um treinador que ganha dois troféus em seis meses obviamente merece continuar e iniciar uma nova época, com jogadores por si escolhidos".

No entanto, "os problemas continuaram na nova temporada e a equipa somou maus resultados e exibições, vivendo sempre debaixo de grande instabilidade, com alterações sucessivas no onze inicial". E atirou: "Se Keizer apresentou a mesma equipa em dois jogos seguidos já foi muito".

E Frederico Varandas, como fica nesta situação? "Bem, a verdade é que qualquer direção é contestada pelos adeptos quando os resultados da equipa de futebol não aparecem. É a vida de todos os presidentes e agora cabe a Frederico Varandas encontrar um treinador que coloque o Sporting no trilho do sucesso", refere.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG