Keizer: "Não fomos tão bons como costumamos ser"

O treinador do Sporting admitiu algum cansaço da sua equipa e lamentou não ter feito o 3-0 para gerir melhor o jogo. Ivo Vieira assumiu que o seu Moreirense deu "dois golos de vantagem" ao adversário

Marcel Keizer, treinador do Sporting, admitiu que a sua equipa não esteve ao nível que pretendia no jogo deste sábado com o Moreirense, que os leões venceram por 2-1.

"A nossa segunda parte não foi boa, estávamos a ganhar só por um e ainda faltava muito tempo para jogar. Foi difícil, mas jogadores correram muito e deram tudo o que tinham. Na posse não fomos tão bons como costumamos ser, mas na atitude estivemos muito bem", admitiu.

O técnico holandês mostrou-se no entanto satisfeito pela forma como decorreu a primeira parte. "Começámos muito bem, marcámos logo aos dois minutos e pouco depois marcámos o segundo. Depois disso, jogámos para marcar mais, mas sofremos e a equipa não ficou tão bem no jogo e perdemos algumas oportunidades", explicou

Keizer admitiu ainda algum cansaço por parte do Sporting. "Normalmente, se fizéssemos o 3-0 as coisas podiam tornar-se mais fáceis para nós e permitia-nos fazer três substituições, mas as coisas saíram ao contrário, tivemos de lutar até ao fim e os jogadores já estavam mais cansados. Felizmente, temos alguns dias para descansar e preparar o próximo jogo."

Questionado sobre a possibilidade de Marcos Acuña deixar Alvalade durante o mercado de inverno, deixou uma certeza: "Gosto muito do Acuña como jogador e pessoa e espero que ele fique. Todos querem reforçar os plantéis, mas estes são os jogadores que temos."

Por sua vez, Ivo Vieira lamentou que o Moreirense tenha dado "dois golos de vantagem" ao Sporting. "Nos primeiros 30 minutos não atacámos, o Sporting teve o controlo do jogo. Fazer 30 minutos ou 90 e só defender é tanto mais frustrante do que fazer o que fizemos nos últimos 15 minutos da primeira parte. Depois a equipa procurou jogar o jogo pelo jogo na segunda parte. Não criámos oportunidades, mas tivemos mais bola, mais caudal ofensivo, os jogadores trabalharam até à exaustão, prefiro que se jogue desta forma, podíamos perder por 4-1, mas a equipa quis atacar, isso só privilegia a equipa", frisou o técnico, garantindo que quer o Moreirense "dos 70 minutos e não dos primeiros 20".

Exclusivos