Keizer confirma Bas Dost frente ao Santa Clara e diz não ter qualquer problema com ele

Treinador do Sporting fez esta quinta-feira a antevisão do jogo desta sexta-feira (20.30) com o Santa Clara, no Estádio José Alvalade, a contar para a 26.ª jornada da I Liga

Marcel Keizer confirmou esta quinta-feira em conferência de imprensa que Bas Dost vai estar na equipa no jogo desta sexta-feira (20.30) frente ao Sana Clara, em Alvalade, a contar para a 26.ª jornada da I Liga. "O Bas Dost não só treinou ontem como hoje [quinta-feira], por isso está preparado para estar com a equipa. Vai estar com a equipa amanhã, embora eu nunca faça este tipo de anúncios", revelou o treinador holandês, garantindo não ter qualquer tipo de problema com o compatriota.

O técnico leonino assume a importância de ganhar aos açorianos mas frisa que os jogadores estão confiantes depois de terem ganhado os últimos jogos, diante de Portimonense e Boavista. "Precisamos de ganhar e vamos fazer tudo para isso. Estamos confiantes, ganhámos os últimos jogos. A pressão está sempre presente quando se está no Sporting. Mas estamos confiantes e queremos jogar num estilo de circulação de bola com confiança", afirmou.

Sobre o Santa Clara, Keizer destaca a variabilidade de jogo da equipa de João Henriques. "Penso que eles jogam com três linhas muito juntas e tanto pressionam alto como mais baixo. Quando pressionam alto, estão mais próximos da nossa baliza. Quando pressionam baixo, saem em contra-ataque", frisou, salientando que o sistema a utilizar (4x3x3 ou 3x4x3) "depende do adversário".

Marcel Keizer deixou ainda elogios a Mathieu, que no seu entender "tem estado muito bem". "Não posso dizer que vai estar na equipa na próxima época, mas gosto do jogador. Para mim, é um jogador muito bom", destacou.

A convocatória leonina para o encontro desta sexta-feira deverá ser anunciado por volta das 17.00 desta quinta-feira.

Exclusivos

Premium

Vida e Futuro

Formar médicos no privado? Nem a Católica passa no exame

Abertura de um novo curso de Medicina numa instituição superior privada volta a ser chumbada, mantendo o ensino restrito a sete universidades públicas que neste ano abriram 1441 vagas. O país está a formar médicos suficientes ou o número tem de aumentar? Ordem diz que não há falta de médicos, governo sustenta que "há necessidade de formação de um maior número" de profissionais.