Juventus e Ronaldo não vão aos EUA para torneio por receio de que ele seja detido

Os organizadores de um torneio de verão de alto nível para as maiores equipas de futebol do mundo decidiram manter a Juventus e a sua estrela maior, CR7, longe dos Estados Unidos neste ano, para evitar o risco de o futebolista português ser detido no âmbito da investigação por alegada violação em Las Vegas.

A Internacional Champions Cup voltará a acontecer nos Estados Unidos, mas os jogos da Juventus só acontecerão na versão asiática do torneio, para evitar a presença de Cristiano Ronaldo nos EUA. A notícia é avançada nesta quarta-feira pelo The New York Times.

A Juventus tem um acordo multianual para disputar aquele torneio, organizado pela Relevent Sports, organização sediada em Nova Iorque. Os problemas legais de Cristiano Ronaldo tiveram um peso decisivo na programação deste ano, segundo fontes envolvidas no processo.

Ronaldo, cinco épocas o melhor jogador do mundo, está na primeira temporada no campeonato italiano, depois de a Juventus ter pago mais de 114 milhões de dólares para o comprar ao Real Madrid em julho. Apenas alguns meses após a sua transferência, o departamento da Polícia Metropolitana de Las Vegas disse ter reaberto uma investigação sobre as acusações de uma mulher americana, Kathryn Mayorga, que disse ter sido violada por Ronaldo num quarto de hotel em Las Vegas, em 2009. O jogador terá pago 375 mil dólares pelo seu silêncio.

Ronaldo e os seus advogados negaram repetidamente a acusação de violação quando ela surgiu, em setembro. O jogador português rotulou a notícia de "falsa" num vídeo publicado nas suas contas das redes sociais. Os seus advogados ameaçaram processar a revista alemão que divulgou a notícia e a Juventus manteve-se sempre ao lado da sua nova estrela. O clube falou sempre em "grande profissionalismo e dedicação".

O caso contra Ronaldo reapareceu depois de a revista Der Spiegel ter revelado que teve acesso a documentos confidenciais relacionados com o caso e o suposto pagamento do jogador para o resolver, obtidos na plataforma de denúncias Football Leaks. Logo a seguir o Departamento da Polícia Metropolitana de Las Vegas reabriu a investigação sobre a acusação de violação, dando seguimento à informação que tinha sido dada pela alegada vítima.

Ronaldo, agora com 33 anos, era uma estrela do Mancherter United, da Inglaterra, quando conheceu Mayorga, agora com 35, numa discoteca de Las Vegas, em 2009, pouco antes da sua transferência para o Real Madrid. Segundo os relatos da mulher, o jogador tê-la-á convidado para a sua suíte na madrugada de 13 de junho de 2009 e aí terá abusado sexualmente dela.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG