Justiça alemã abre inquérito a quatro antigos responsáveis sobre Mundial 2006

Tribunal de Frankfurt deu conta da existência de uma suspeita suficiente para condenação por fraude fiscal.

A justiça alemã abriu esta segunda-feira um inquérito a quatro antigos responsáveis, três alemães e um suíço, por suspeitas de corrupção na organização do campeonato do mundo de futebol de 2006.

O comité organizador da competição realizada em solo alemão é suspeito de ter comprado votos para a atribuição do torneio ao país. Este processo decorre em simultâneo com as investigações feitas no âmbito da justiça suíça, onde está situada a sede da FIFA.

Entre os suspeitos estão dois antigos presidentes da federação alemã de futebol, Wolfgang Niersbach e Theo Zwanziger, o antigo secretário-geral do organismo Horst Schmidt e o suíço Urs Linsi, que foi secretário geral da FIFA.

Em comunicado, um tribunal de Frankfurt deu conta da existência de "uma suspeita suficiente" para a condenação por fraude fiscal. Em causa está possível existência de um fundo secreto de 6,7 milhões de euros para a compra de votos, a fim de assegurar a organização do Mundial, em detrimento da África do Sul. Estas suspeitas foram noticiadas pelo jornal alemão Der Spiegel, em 2015.

Exclusivos