José Peseiro: "Aqui estamos com a mesma coragem e a mesma determinação"

O treinador regressa a Alvalade, 14 anos depois.

O técnico, foi apresentado, este domingo, em Alvalade. José Peseiro lembrou a sua anterior passagem a Alvalade e diz manter a ambição que tinha quando foi apresentado há 14 anos.

"14 anos depois tenho a mesma ilusão, a mesma responsabilidade de ser treinador deste grande clube. Aqui estamos com a mesma coragem e a mesma motivação", começou por dizer, em conferência de imprensa

O treinador não nega que, tendo em conta o cenário que se vive em Alvalade, o Sporting parte um pouco atrás relativamente aos seus concorrentes diretos: "Partimos um pouco atrás, sabemos disso. Agora, o importante é analisar, organizar, avaliar para retomar o equilíbrio de uma equipa de futebol que é determinante para este clube"

O técnico acredita poder fazer regressar alguns jogadores que rescindiram contrato, e assume que criará, com tempo, uma equipa "candidata a ganhar troféus". "Não vamos fazer nada à pressa", atirou.

Sobre o facto de o Sporting vir a ter eleições em breve, José Peseiro diz que durante a negociação do seu contrato isso foi tido em conta: "O acordo que temos é de um ano e com mais um de opção. Não fazia sentido que quem vem, tivesse de ter de carregar um contrato de dois ou três anos.

O treinador diz que "mais do pensarmos em eleições, o importante é pensar no presente do Sporting" porque, nesta altura, "o tempo escasseia".

José Peseiro assina por uma época e com outra da opção, e chega para o lugar de Sinisa Mihajlovic, que foi escolhido pelo presidente destituído, Bruno de Carvalho, mas não se chegou a estrear.

Eis as ideias mais fortes da conferência de imprensa de José Peseiro:

"Há 14 anos entrei nesta sala com muita ilusão, com muita motivação e com muita responsabilidade para defender as cores deste clube. Era muito mais jovem e declarei aqui, com muita coragem, e perante recursos manifestamente inferiores aos nossos concorrentes diretos, que queríamos ganhar a liga e chegar à final da Liga Europa porque se disputava no nosso estádio. Por pouco não conseguimos concretizar isso."

"O Sporting não vai acabar se não for possível recuperar alguns dos jogadores que rescindiram, mas a primeira prioridade é a reversão desses processos de rescisão. Com celeridade e sem precipitações, vamos analisar e escolher bem e com inteligência para que no presente quadro nada impeça que o Sporting construa uma grande equipa e lute pelo título."

"O tempo escasseia, mas não vamos fazer nada à pressa. Temos jogadores com muito valor neste plantel e temos de perceber quem pode sair e quais os que podem regressar. Estamos atrasados, mas não desesperados. Vamos fazer as coisas com qualidade, o futebol do clube não pode parar e confio que escolheremos o caminho certo."

"Não tenho medo deste desafio. Sinto a responsabilidade e a exigência, mas também tenho a ilusão e a ambição de lutar por títulos no Sporting. Continuo a querer uma equipa a jogar bem, mas ligando isso aos resultados, sabendo que jogando melhor é mais fácil ganhar."

"Não direi que partimos muito atrás, mas é um facto partimos atrás. Todavia, não temos receio disso. Queremos estar mais perto quando começar a época. Não nos lamentamos com isso, não é hora de lamentar, é hora de trabalhar. Não sabemos que plantel temos, mas isso não nos pode limitar. Com a equipa técnica que temos, com todos as pessoas dos vários departamentos a ajudar-nos, acreditamos que vamos reduzir essa diferença. Daqui a dois meses poderemos ser mais objetivos sobre a realidade do Sporting, para perceber as aquisições, as saídas, o que pode mexer com o plantel. Mas essas dúvidas não vão perturbar o nosso trabalho, estamos focados no que é essencial."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG