Jorge Silas "sem medo" garante um futebol que vai dar "prazer"

O novo treinador do Sporting prometeu uma equipa atrevida e ambiciosa e assumiu que com a qualidade de jogadores que tem "não é preciso milagres"

Jorge Silas, de 43 anos, foi apresentado esta sexta-feira como novo treinador do Sporting, em pleno relvado do Estádio José Alvalade. O ex-técnico do Belenenses SAD, que foi demitido do cargo há 23 dias devido aos maus resultados, assume agora o comando dos leões que vão numa série de três derrotas consecutivas e apenas venceram dois jogos esta época.

O momento difícil que os leões atravessam não atemoriza o novo técnico leonino. "Somos atrevidos e ambiciosos, como tal nunca hesitamos quando recebemos este convite. Confiamos muito nas nossas capacidades, sabemos que a nossa forma de jogar obriga a que todos acreditem nela, porque é arrojada, mas dá prazer aos jogadores e depois aos adeptos. Por isso, o medo é zero. Para estar num clube destes não se pode ter medo, temos de ser atrevidos. Acho que os jogadores vão acreditar na nossa forma de jogar", assumiu.

Antes das primeiras palavras de Silas, um sorridente Frederico Varandas, presidente leonino, admitiu que todos estão "frustrados por o Sporting não ocupar um lugar correspondente à valia do seu grupo". "Acreditamos que é um grupo de grande valia", destacando que a nova equipa técnica é "jovem, competente, ambiciosa e tem muita coragem, além de muita vontade" de estar no Sporting. E antes de passar a palavra a Silas revelou uma história que se passou há 17 anos: "A primeira vez que o vi o Silas ao vivo foi em 2002, na praça do Rossio, a festejar o titulo com o cachecol do Sporting. Hoje estamos aqui. Apesar de frustrados, temos muita confiança que será esta equipa técnica a por o Sporting no seu lugar."

A propósito dessa história, Silas fez questão de lembrar que nessa época até tinha marcado aos leões: "Quero deixar claro, que estava na U. Leiria e nesse ano fiz dois golos ao Sporting. Era profissional."

Jorge Silas não escondeu a "surpresa" por ter sido o escolhido por Frederico Varandas para suceder a Leonel Pontes. "Estamos muito contentes e surpresos porque saímos de um clube há tão pouco tempo e não imaginávamos receber um convite de um clube tão grande como o Sporting. mas tudo tem acontecido muito rápido na nossa carreira", admitiu, acrescentando que um dos momentos que "mais marcaram" a sua carreira foi "aos 13 anos" quando foi dispensado do Sporting: "Foi a maior desilusão da minha carreira, mas que agora posso dizer que foi justa. Passados tantos anos estar aqui a treinar o Sporting, podem imaginar o que significa para mim. Poder ter a oportunidade de poder elevar o Sporting para um patamar superior enche-nos de orgulho."

Na conferência de imprensa após a derrota de quinta-feira com o Rio Ave, Leonel Pontes disse que não fazia milagres, uma ideia que Silas garante não partilhar: "Eu aceitei porque acredito nestes jogadores. Com a qualidade que eles têm, não é preciso milagres. Todos eles têm uma história e, noutros tempos, estiveram a um nível alto para poderem chegar aqui, por isso vamos procurar o que eles têm dentro deles. É preciso conhece-los e ouvir o que sentem e é isso que vamos fazer."

Silas admitiu ainda que já recolheu informações sobre os jogadores que tem à sua disposição e por isso não tem dúvidas: "Temos gente trabalhadora e ambiciosa. E mais do que qualquer coisa, eles querem é ganhar. Garanto que os profissionais sofrem muito com os resultados, às vezes nem saem à rua depois de uma derrota. Queremos que tenham qualidade de vida, que possam sair à rua e ouvir elogios."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG