Jesé falha viagem à Holanda devido a gastroenterite. Mathieu também de fora

O avançado argentino Luciano Vietto regressou aos convocados do Sporting, para a estreia na Liga Europa de futebol, frente ao PSV Eindhoven, enquanto Mathieu, Luiz Phellype e Jesé não seguem para a Holanda.

Vietto está recuperado da lesão que o deixou de fora da visita ao Boavista (1-1), na quinta jornada da I Liga, e entrou na segunda convocatória de Leonel Pontes, que continua a não poder contar com o avançado brasileiro Luiz Phellype.

O avançado espanhol Jesé, que apareceu numa primeira versão da convocatória, ficou de fora, devido a uma gastroenterite, sendo substituído por Jovane Cabral, enquanto o central francês Mathieu deu lugar ao uruguaio Sebastian Caates, que cumpriu suspensão de um jogo no Bessa, e Battaglia também saiu, uma vez que não está inscrito Liga Europa.

Leonel Pontes chamou ainda o guarda-redes júnior Hugo Cunha (rende Diogo Sousa) e o avançado dos sub-23 Pedro Mendes.

O Sporting e o PSV Eindhoven defrontam-se a partir das 17:55 de quinta-feira, em jogo da primeira jornbada do Grupo D da Liga Europa.

Lista dos 20 convocados:

- Guarda-redes: Renan, Luís Maximiliano e Hugo Cunha.

- Defesas: Ilori, Coates, Luís Neto, Rosier e Borja.

- Médios: Eduardo, Bruno Fernandes, Acuña, Miguel Luís, Wendel e Doumbia.

- Avançados: Rafael Camacho, Vietto, Gonzalo Plata, Jovane Cabral, Pedro Mendes e Bolasie.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.