Já há finalistas da Superbowl e Tom Brady (para não variar) vai lá estar

Os New England Patriotse os Los Angeles Rams qualificaram-se no domingo para a 53.ª edição do Superbowl, ao vencerem fora e no prolongamento os Kansas City Chiefs e os New Orleans Saints, respetivamente.

No dia 3 de fevereiro, em Atlanta, os New England Patriots, de Tom Brady, e os Los Angeles Rams Patriots e Rams vão reeditar a final da Superbowl de 2002, o ano da primeira final do mais famoso quarterback da atualidade. Nesse jogo em que Brady foi eleito o melhor jogador (MVP) desse encontro, algo que repetiu em 2004, 2015 e 2017, sendo que já tinha ganho em 2005. Esteve igualmente no jogo da decisão em 2008, 2012 e no ano passado, edições em que perdeu.

O quarterback dos Patriots voltou no domingo a ser o grande protagonista. Com a primeira posse de bola, sabia que bastava o touchdown para ganhar e não desperdiçou Brady serviu consecutivamente Chris Hogen, Julian Edelman (duas vezes) e Rob Gronkowski até chegar perto da área de conversão, a end zone, para, depois, apostar na corrida de Rex Burkhead, que acabou por conseguir o touchdown da vitória.

A final está já a ser vivida pelos americanos com algum entusiasmo, mais que não fosse pelo duelo de gerações de quarterbacks: Jared Goff, com 24 anos, e Tom Brady, com 42 anos.

Os Patriots venceram os Chiefs por 37-31, selando a 11.ª presença no Superbowl, enquanto os Rams ganharam aos Saints por 26-23, garantindo a terceira. Brady vai à procura do sexto título pessoal em oito finais.

Na final da NFC, o herói foi Greg Zuerlein, que decidiu o encontro com um pontapé a 57 jardas, dando o triunfo aos Los Angeles Rams por 26-23, depois de o quarterback Drew Brees fazer um turnover na primeira jogada do tempo extra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG