Weah, agora presidente, voltou a jogar pela seleção aos 51 anos

Antigo avançado, Bola de Ouro em 1995, jogou 79 minutos frente à Nigéria dos portistas Chidozie e Nwakali

O jogo particular desta terça-feira entre a Libéria e a Nigéria ficou marcado pela participação de um jogador muito especial: George Weah, Bola de Ouro em 1995, agora presidente liberiano aos 51 anos.

Apesar da idade e do físico já não serem o mesmo de outrora e de se ter retirado há década e meia, o agora chefe de Estado atuou 79 minutos numa partida que serviu para o homenagear.

Quando foi substituído, após ter cumprido grande parte do encontro, recebeu uma forte ovação dos adeptos presentes em Monrovia, capital do país.

Ainda assim, a vitória acabou por sorrir à equipa visitante, que venceram por 2-1, com os portistas Chidozie e Nwakali no onze inicial.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.