Tour: Julian Alaphilippe vence contrarrelógio e reforça liderança à 13.ª etapa

O ciclista francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) venceu esta sexta-feira o contrarrelógio da 13.ª etapa da Volta a França, reforçando assim a sua vantagem na liderança no Tour para o britânico Geraint Thomas (INEOS).

Os 27,2 quilómetros com início e fim em Pau foram cumpridos pelo gaulês em 35 minutos certos, ganhando assim 14 segundos a Thomas, enquanto o belga Thomas de Gendt (Lotto-Soudal) foi terceiro, a 36.

Alaphilippe lidera agora com 1.26 minutos de vantagem sobre Geraint Thomas e 2.12 sobre o holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma).

O português Nelson Oliveira (Movistar) foi 11.º a 1.03.

No sábado os ciclistas percorrem 117,5 quilómetros entre Tarbes e o mítico Tourmalet, uma subida de 19 quilómetros com inclinação média de 7,4 por cento e que termina a 2.114 metros de altitude.

Classificação da etapa:

1. Julian Alaphilippe, Fra (Deceuninck-Quick Step), 35.00 minutos.

2. Geraint Thomas, GB (INEOS), a 14 segundos.

3. Thomas de Gendt, Bel (Lotto-Soudal), a 36 segundos.

4. Rigoberto Urán, Col (Education First), m.t.

5. Richie Porte, Aus (Trek-Segafredo), a 45.

6. Steven Kruiswijk, Hol (Jumbo-Visma), m.t.

7. Thibaut Pinot, Fra (Groupama-FDJ), a 49.

8. Kasper Asgreen, Din (Deceuninck-Quick Step), a 52.

9. Enric Mas, Esp (Deceuninck-Quick Step), a 58.

10. Joey Rosskopf, Eua (CCC), a 1.01 minutos.

(...)

11. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 1.03.

12. Jakob Fuglsang, Din (Astana), a 1.07.

14. Alejandro Valverde, Esp (Movistar), a 1.11.

22. Egan Bernal, Col (INEOS), a 1.36.

28. Nairo Quintana, Col (Movistar), a 1.51.

34. Adam Yates, GB (Mitchelton-Scott), a 2.08.

39. Romain Bardet, Fra (AG2R La Mondiale), a 2.26.

116. José Gonçalves, Por (Katusha-Alpecin), a 4.36.

136. Rui Costa, Por (UAE-Emirates), a 5.07.

- Classificação da geral individual:

1. Julian Alaphilippe, Fra (Deceuninck-Quick Step), 53:01.09 horas.

2. Geraint Thomas, GB (INEOS), a 1.26 minutos

3. Steven Kruiswijk, Hol (Jumbo-Visma), a 2.12.

4. Enric Mas, Esp (Deceuninck-Quick Step), a 2.44.

5. Egan Bernal, Col (INEOS), a 2.52.

6. Emmanuel Buchmann, Ale (BORA-hansgrohe), a 3.04

7. Thibaut Pinot, Fra (Groupama-FDJ), a 3.22.

8. Rigoberto Urán, Col (Education First), a 3.54.

9. Nairo Quintana, Col (Movistar), a 3.55.

10. Adam Yates, GB (Mitchelton-Scott), m.t.

(...)

12. Alejandro Valverde, Esp (Movistar), a 4.29.

13. Jakob Fuglsang, Din (Astana), m.t.

17. Romain Bardet, Fra (AG2R La Mondiale), a 5.46.

51. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 35.04.

94. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 1:17.17 horas.

128. José Gonçalves, Por (Katusha-Alpecin), a 1:42.33.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.