Pedro Sousa eliminado na primeira ronda do Open da Austrália

O tenista português foi esta segunda-feira eliminado na primeira ronda do Open da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano, ao perder contra o anfitrião e número um australiano, Alex di Minaur, por três sets a zero.

O lisboeta, que se estreava aos 30 anos em quadros principais de torneios do Grand Slam, perdeu contra o australiano de 19 anos pelos parciais de 6-4, 7-5 e 6-4.

Alex di Minaur, 29.º classificado do ranking e jogador revelação do ano passado, precisou de quase duas horas (01:58) para derrotar o tenista luso, 103.º lugar da hierarquia mundial.

"Pequei na resposta ao serviço"

"Foi um encontro sempre equilibrado, em que os parciais foram decididos só com um break. Foi disputado com alguns bons pontos e, no geral, foi um bom encontro. O fator decisivo foi a resposta ao serviço. Hoje pequei nesse aspeto, não estive tão bem e criei muito poucas oportunidades na resposta. Servi muito bem, mas a resposta infelizmente não foi a melhor e a que se exige a este nível. Não lhe causei desconforto a responder", explicou o lisboeta à Lusa, depois ceder na estreia.

Apesar de eliminado na ronda inaugural do torneio australiano, onde assinalou a sua estreia em quadros principais do Grand Slam, Pedro Sousa admite ter ficado "contente" com a forma como reagiu diante o jovem australiano, 27.º do ranking ATP, que venceu domingo o ATP 250 de Sydney, o seu primeiro título de carreira aos 19 anos.

"Não posso dizer que esteja satisfeito, porque perdi. Mas, no global, foi uma boa experiência jogar num court grande [Margaret Court Arena], com um jogador como o Di Minaur, que já ganhou um torneio ATP, a jogar em casa e onde é número um. Estou contente como lidei com a situação", frisou.

Concluída a experiência em Melbourne Park, onde espera ter "mais experiências destas", Pedro Sousa regressa a Portugal para descansar por alguns dias, antes de se juntar à seleção lusa, que viaja até ao Cazaquistão para discutir com a equipa anfitriã o apuramento para o Grupo Mundial da Taça Davis.

Nos Antípodas permanece João Sousa, número um português e 44.º ATP, que fará a sua estreia na 107.ª edição do Open da Austrália na terça-feira, frente ao esquerdino argentino Guido Pella (66.º no ranking), seu parceiro de pares no ATP 250 de Auckland. Nas seis participações anteriores, o vimaranense de 29 anos tem como melhor registo a terceira ronda, alcançada em 2015 e 2016.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.