Sporting revela que gastou 12,37 milhões de euros no mercado de inverno

Os leões enviaram um comunicado à CMVM com todas as transações realizadas durante o mês de janeiro. Idrissa Doumbia foi o mais caro. Dez saídas renderam pouco mais de quatro milhões de euros

O Sporting informou esta quarta-feira a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que gastou 12,375 milhões de euros na contratação de oito jogadores durante o mercado de inverno, que encerrou no dia 31 de janeiro.

Os leões detalharam todos os negócios realizados, sendo que o jogador mais caro foi o costa-marfinense Idrissa Doumbia, por quem pagaram 3,8 milhões de euros aos russos do Akhmat Grozny, além 480 mil euros de comissão, totalizando assim um investimento de 4,28 milhões de euros no médio. Nesta transação, é ainda explicado que o clube russo tem direito a receber 25% de uma mais-valia de uma futura transferência.

O segundo mais caro foi o colombiano Cristián Borja, por quem os leões investiram 3,1 milhões de euros por 80% do passe, ficando ainda o Toluca com direito a receber 700 mil euros de bónus por objetivos. O Sporting fica ainda com o direito de comprar os restantes 20% dos direitos do lateral até dezembro de 2019.

Tiago Ilori foi adquirido aos ingleses do Reading, com o Sporting a pagar 2,4 milhões de euros por 60% do passe do defesa, sendo que pode adquirir os restantes 40% até fevereiro de 2020.

Os leões comunicam ainda que exerceram a opção de compra do guarda-redes Renan Ribeiro junto do Estoril, no valor de um milhão de euros, tendo ainda pago aos canarinhos 500 mil euros pelo jovem Matheus Nunes, do qual passam a deter 50% do passe.

O equatoriano Gonzalo Plata representou um investimento de 1,075 milhões de euros por 50% dos direitos económicos, tendo ainda sido paga uma comissão de 400 mil euros pelo negócio.

Por sua vez, o avançado brasileiro Luiz Phellype custou aos cofres leoninos 500 mil euros pela contratação ao Paços de Ferreira, tendo ainda pago uma comissão ao empresário do atleta no valor de 206 mil euros.

Quanto às saídas, o Sporting informou a CMVM que abandonaram Alvalade dez jogadores, que totalizaram um retorno de 4,441 milhões de euros. A maior fatia dessa verba foi alcançada com o defesa turco Merih Demiral, que foi transferido por 3.5 milhões de euros, depois de o Alanyaspor ter exercido a opção de compra do atleta. Os leões ficaram ainda responsáveis pelo pagamento de uma comissão de 300 mil euros à empresa que intermediou o negócio.

O defesa brasileiro Marcelo mudou-se para o Chicago Fire, da MLS, por 441 mil euros, enquanto o jovem Tiago Djaló transferiu-se para o AC Milan por 500 mil euros.

A custo zero sairam Bruno César, Nani, Luc Castaignos, Fredy Montero, Fokobo, Euclides Cabral e Boubacar Kouyaté.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Foi Centeno quem fez descer os juros?

Há dias a agência de notação Standard & Poor's (S&P) subiu o rating de Portugal, levando os juros sobre a dívida pública para os níveis mais baixos de sempre. No mesmo dia, o ministro das Finanças realçava o impacto que as melhorias do rating da República têm vindo a ter nas contas públicas nacionais. A reacção rápida de Centeno teve o propósito óbvio de associar a subida do rating e a descida dos juros às opções de finanças públicas do seu governo. Será justo fazê-lo?