Sporting (re) apresenta esta terça-feira... Bruno Fernandes

Às 12.00 haverá uma cerimónia no relvado para marcar o regresso do médio a Alvalade. É o primeiro dos nove que rescindiram a voltar ao Sporting

Bruno Fernandes, tal como o DN adiantou na tarde deste sábado em primeira mão, está de regresso ao Sporting. O regresso será feito em grande com uma apresentação em pleno relvado nesta terça-feira às 12.00.

O Sporting comunicou à comunicação social a realização de um evento. "A Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD, informa que irá decorrer um evento amanhã, dia 10 de Julho, pelas 12 horas, no relvado do Estádio José Alvalade"

Ao que o DN apurou junto de fonte bem colocada no processo o evento tem como figura central Bruno Fernandes, o primeiro dos nove que rescindiram, a regressar a Alvalade.

Bruno Fernandes rescindiu a 11 de junho, no mesmo dia que William Carvalho e Gelson Martins, quando já se encontrava em solo russo para representar a seleção nacional no Mundial 2018. Desde que fez entrar a rescisão unilateral, Bruno Fernandes foi associado a vários clubes, entre os quais o Benfica. Quando chegou a Portugal, após a eliminação no Mundial, o médio de 23 anos admitiu a possibilidade de regressar a Alvalade e ironizou com o interesse do clube da Luz.

Uma coisa é certa, Bruno Fernandes terá rubricado um novo contrato, com uma possível melhoria de contrato, resta saber se mantém a cláusula de rescisão que estava cifrada em 100 milhões de euros.

Relembre-se que dos jogadores que rescindiram unilateralmente com o Sporting, Rui Patrício ruma ao Wolverhampton e Daniel Podence ao Olympiacos. E nenhum dos dois clubes chegou, para já, a acordo com o Sporting. William Carvalho, Gelson Martins, Rúben Ribeiro, Battaglia, Bas Dost e Rafael Leão ainda não têm o futuro definido. Bruno Fernandes regressa ao Sporting, clube pelo qual na época passada fez 16 golos em 56 encontros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.