Sporting (re) apresenta esta terça-feira... Bruno Fernandes

Às 12.00 haverá uma cerimónia no relvado para marcar o regresso do médio a Alvalade. É o primeiro dos nove que rescindiram a voltar ao Sporting

Bruno Fernandes, tal como o DN adiantou na tarde deste sábado em primeira mão, está de regresso ao Sporting. O regresso será feito em grande com uma apresentação em pleno relvado nesta terça-feira às 12.00.

O Sporting comunicou à comunicação social a realização de um evento. "A Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD, informa que irá decorrer um evento amanhã, dia 10 de Julho, pelas 12 horas, no relvado do Estádio José Alvalade"

Ao que o DN apurou junto de fonte bem colocada no processo o evento tem como figura central Bruno Fernandes, o primeiro dos nove que rescindiram, a regressar a Alvalade.

Bruno Fernandes rescindiu a 11 de junho, no mesmo dia que William Carvalho e Gelson Martins, quando já se encontrava em solo russo para representar a seleção nacional no Mundial 2018. Desde que fez entrar a rescisão unilateral, Bruno Fernandes foi associado a vários clubes, entre os quais o Benfica. Quando chegou a Portugal, após a eliminação no Mundial, o médio de 23 anos admitiu a possibilidade de regressar a Alvalade e ironizou com o interesse do clube da Luz.

Uma coisa é certa, Bruno Fernandes terá rubricado um novo contrato, com uma possível melhoria de contrato, resta saber se mantém a cláusula de rescisão que estava cifrada em 100 milhões de euros.

Relembre-se que dos jogadores que rescindiram unilateralmente com o Sporting, Rui Patrício ruma ao Wolverhampton e Daniel Podence ao Olympiacos. E nenhum dos dois clubes chegou, para já, a acordo com o Sporting. William Carvalho, Gelson Martins, Rúben Ribeiro, Battaglia, Bas Dost e Rafael Leão ainda não têm o futuro definido. Bruno Fernandes regressa ao Sporting, clube pelo qual na época passada fez 16 golos em 56 encontros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.