Reviravolta dobra Dragão

Em seis minutos, FC Porto fez 2-0 e foi para o intervalo a pensar na liderança. André André (penálti) e Tozé anularam desvantagem e Davidson consumou a reviravolta (2-3) que afasta o campeão do 1.º lugar com derrota em casa no campeonato 28 meses depois

O FC Porto começou sem muito gás, mas com habilidade suficiente para chegar ao intervalo a vencer por 2-0. Brahimi inventou o primeiro (com ajuda preciosa de André Pereira), André Pereira marcou em fora de jogo. Tudo em seis minutos. O VAR esteve em baixo, devido a avaria, entre o minuto 15 e 45.

Pelo meio, os dragões ainda cheiraram o golo um par de vezes, enquanto o Vitória se acercava da baliza de Casillas, mas sem nunca lhe acertar.

Mas chegou a segunda parte e, como disse Sérgio Conceição, a equipa deixou o jogo correr. Queria viver dos rendimentos obtidos antes do intervalo.

O Vitória foi enchendo o peito de confiança. Primeiro, Sérgio Oliveira derrubou Ola Jonh, na primeira ação do holandês depois de ter entrado em campo. O ex-FC Porto André André bateu Casillas (63') de penálti.

A equipa de Luís Castro manteve os olhos na baliza adversária, ou pelo menos tentou jogar sempre o mais longe da sua área. Com os campeões a deixarem correr o marfim, chegou o empate. Tozé (76'), que já pertenceu aos quadros azuis e brancos, recebeu sobre a direita da área e arrancou um remate cruzado que Casillas nem com os olhos conseguiu desviar.

Na segunda parte, o guarda-redes Douglas revelou-se inultrapassável. Foi parando as várias oportunidades de golo criadas pelos avançados do FC Porto. O cúmulo sucedeu entre os 90'+2' e os 90'+4'. Óliver combinou bem e surgiu na cara de Douglas, mas foi incapaz de o bater (remate forte, grande defesa). Logo a seguir, Marega atira para defesa aflita do guardião vimaranense e André Pereira não consegue a emenda porque João Afonso se intrometeu. E dois minutos depois, Douglas voltou a negar o golo, desta vez a Herrera (desviou o remate para o poste).

A desinspiração em frente ao golo e até o poste impediram os dragões de voltarem a marcar. Mas não tinham frustrado Davidson, que já havia consumado a reviravolta (88') antes dos 90'. Um remate muito semelhante ao do colega Tozé. Três golos de um visitante no Dragão não são feito para muitos adversários.

E muito menos é para qualquer equipa conseguir dar a volta a uma desvantagem de dois golos ao intervalo no terreno do FC Porto. No campeonato, aconteceu poucas vezes.

Mas o mesmo se aplica a todas as competições. A última vez que aconteceu foi já há cerca de 14 anos, diante de um desconhecido Artmedia. E ao oitavo jogo frente ao clube que representou em várias equipas técnicas, Luís Castro lá conseguiu a primeira vitória.

O Vitória de Guimarães já não ganhava no terreno do FC Porto desde 1996: pelo mesmo resultado (golo do triunfo de zahovic...), a equipa então orientada por Jaime Pacheco bateu os azuis e brancos nas Antas. Ou seja, este sábado estreou-se a ganhar no Dragão. Foi a 4.ª vitória em 80 jogos como visitante (62 triunfos portistas, 21 nos últimos 22 jogos - houve um empate a zero em 2004/05).

O FC Porto já não perdia em casa para o campeonato desde 2016. A 30 de abril, portanto, há 28 meses, o Sporting de Jorge Jesus venceu no Dragão por 1-3.

Veja resumo do jogo:

O Feirense pode saltar isolado para a liderança se vencer este domingo o Boavista, em casa (somaria nove pontos). As outras três equipas só com vitórias marcaram passo: empate no Benfica 1-1 Sporting (têm ambos sete pontos) e derrota desoladora dos campeões nacionais (seis pontos) diante do Vitória. Que conseguiu os primeiros pontos no campeonato depois de duas derrotas (Luz, 2-3; Afonso Henriques, 0-1 frente ao Feirense). E de uma outra, em casa, que eliminou a equipa da Taça da Liga (0-2 com o Tondela).

Ficha do jogo

Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto 2-3 Vitória de Guimarães

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Brahimi, 37 minutos.

2-0, André Pereira, 43.

2-1, André André, 63 (grande penalidade).

2-2, Tozé, 76.

2-3, Davidson, 88.

Equipas:
- FC Porto: Casillas, Maxi Pereira, Diogo Leite, Felipe, Alex Telles, Otávio, Sérgio Oliveira, Herrera, Brahimi (Corona, 51, Óliver Torres, 74), Aboubakar (Marega, 62) e André Pereira.
(Suplentes: Vaná, Éder Militão, Hernâni, Óliver Torres, Marega, Corona e Adrián López).
Treinador: Sérgio Conceição.

- Vitória de Guimarães: Douglas, Sacko, João Afonso, Pedro Henrique, Florent, Wakaso, Joseph (Tozé, 37), Tyler Boyd (Ola John, 57), André André, João Carlos Teixeira (Davidson, 77) e Welthon.
(Suplentes: Miguel Silva, Rafa Soares, Tozé, Ola John, Tallo Junior, Davidson e Celis).
Treinador: Luís Castro.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Wakaso (09), Diogo Leite (24), Felipe (78), Florent (83) e Alex Telles (87).

Assistência: 47.008 espetadores

Ler mais