Luka Modric foi coroado como o melhor jogador da UEFA pela primeira vez

Cristiano Ronaldo falhou a quarta distinção da UEFA. Português era um dos três finalistas, mas desta vez não saiu vencedor. Croata do Real Madrid foi coroada rei da Europa, depois da conquista da Champions e de ser vice-campeão mundial.

É raro e já não acontecia desde 2016, mas, desta vez, Cristiano Ronaldo não venceu. O português não esteve presente na cerimónia da UEFA e por isso não viu Luka Modric (Real Madrid) ser eleito o de melhor jogador do ano. Ele, Ronaldo ficou em segundo lugar e o egípcio Mohamed Salah (Liverpool).

Luka Modric, que também conquistou a Liga dos Campeões ao lado de Ronaldo e foi eleito melhor jogador do Mundial 2018, na Rússia, onde a Croácia atingiu a final, perdendo para a França, acabou por bater CR7 por 90 pontos.

Já o avançado Mohamed Salah do Liverpool foi finalista da Liga dos Campeões e terminou a competição com dez golos, além dos 32 golos em 36 jogos na Liga Inglesa, foi terceiro.

Melhor avançado e melhor golo para CR7

Vencedor do prémio em 2013-14, 2015-16 e 2016-17, Cristiano Ronaldo era a favorito ao ceptro europeu, mas foi o croata que o levou para casa durante o sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões, que se realizou esta quinta-feira no Mónaco. Sem a companhia de Messi, vencedor do prémio em 2010-11 e 2014-15, CR7 também não saiu vencedor.

Desta vez, de nada valeu a Ronaldo a conquista da quinta Champions, pelo Real Madrid, e o título de melhor marcador da prova rainha da UEFA. O troféu foi para um ex-colega de equipa, que além da conquista da Champions foi vice-campeão mundial na Rússia e eleito o melhor jogador do Mundial 2018.

Ronaldo é o único totalista de presenças no trio de finalistas ao prémio de melhor jogador, com sete em sete edições, tendo vencido em 2013/14, 2015/16 e 2016/17, sido segundo em 2011/12 e 2017/18 e terceiro em 2012/13 e 2014/15.

Para consolo, aos 33 anos e depois de no início da época ter trocado os espanhóis do Real Madrid pelos italianos da Juventus, fica o prémio de melhor avançado do Ano e o de melhor golo do ano para a UEFA. Um golo espetacular, de pontapé de bicicleta, marcado à atual equipa, a Juventus, e marcado nos quartos-de-final da Liga dos Campeões do ano passado.

O júri foi composto por 80 treinadores de clubes que participaram nas fases de grupos da Liga dos Campeões (32) e Liga Europa (48), e 55 jornalistas de publicações associadas à European Sports Media (ESM), representando cada um dos países membros da UEFA. Cada júri escolheu três jogadores, atribuindo cinco pontos ao primeiro, três ao segundo e um ao terceiro. Os treinadores não puderam votar em jogadores da sua equipa

Classificação Jogador do Ano da UEFA


1- Luka Modrić (Real Madrid) - 313 pontos

2- Cristiano Ronaldo (Real Madrid) - 223

3- Mohamed Salah (Liverpool) - 134

4- Antoine Griezmann (Atlético Madrid) - 72

5- Lionel Messi (Barcelona) - 55

6- Kylian Mbappé (Paris SG) - 43

7- Kevin De Bruyne (Manchester City) - 28

8- Raphaël Varane (Real Madrid) - 23

9- Eden Hazard (Chelsea) - 15

10- Sergio Ramos (Real Madrid) - 12

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."