João Amaral não chegou a jogar pelo Benfica, mas teve estreia de sonho pelo Lech Poznan

Extremo contratado pelas águias ao Vitória de Setúbal neste defeso mas já transferido para o clube polaco entrou aos 70 minutos e marcou aos 89', em partida da Liga Europa

João Amaral foi contratado já este verão pelo Benfica ao Vitória de Setúbal, ainda treinou às ordens de Rui Vitória, mas não chegou a disputar sequer um jogo particular e foi transferido para os polacos do Lech Poznan, clube pelo qual teve uma estreia de sonho esta quinta-feira.

O extremo de 26 anos saltou do banco aos 70 minutos no encontro na visita aos bielorrussos do Shakhtyor Soligorsk, relativo à primeira-mão da segunda pré-eliminatória da Liga Europa, e marcou o golo do empate aos 89', sentenciando o 1-1 final, numa partida em que o compatriota e companheiro de equipa Pedro Tiba atuou os 90'.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.