Fisco espanhol devolve dois milhões de euros a Cristiano Ronaldo

Autoridade tributária considera que CR7 pagou essa quantidade em impostos ao ceder direitos de imagem. Multa do futebolista internacional português reduzida para 16,7 milhões, adianta o El Mundo.

O fisco espanhol devolveu mais de dois milhões de euros a Cristiano Ronaldo, depois de concluir que o futebolista internacional português pagou esse valor em forma de IVA em Espanha pela cedência dos seus direitos de imagem ao empresário Peter Lim, sem ter obrigação legal para o fazer.

Assim sendo, escreve o El Mundo, o acordo feito há quase dois meses entre CR7 e a autoridade tributária, que implicava o pagamento de 18,8 milhões de euros por parte do jogador, foi reduzido para 16,7 M.

O jornal espanhol adianta que o agora avançado da Juventus já tinha desembolsado 13,4 milhões de euros e iria pagar a restante quantidade durante as próximas semanas, no entanto, não lhe sairá tão caro como inicialmente previsto.

Tudo porque, segundo a Autoridade Tributária, Ronaldo cedeu a exploração dos seus direitos de imagem em Espanha em dezembro de 2014 às sociedades Arnel Services, S.A, e Adifore Finance, LTD, sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas e propriedade de Peter Lim, proprietário do Valência, com o objetivo de potenciar a sua imagem no continente asiático através do empresário de Singapura. Depois de examinar essa operação, o fisco considera que "não está sujeita a IVA por tratar-se de prestação de serviços localizadas fora do território de aplicação do imposto". Porém, como Cristiano Ronaldo pagou o IVA da transação e o declarou em janeiro de 2017, o fisco vai proceder à imediata devolução do valor, reembolsando o futebolista em 2.094.200,72 euros.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.