"Escusam de dizer obrigado, foi mesmo de boa vontade"

Selecionador português elogiou os jogadores pelo "trabalho fantástico" na conquista da Liga das Nações, neste domingo, no Porto, após vencer a Holanda (1-0).

"Desde que aqui cheguei, o que fazemos é ir atrás dos objetivos. Procurámos esta vitória e os jogadores têm sido inexcedíveis. É muito difícil, trabalhando tão poucos dias juntos, por isso isto é fruto do trabalho deles. Esta família é quase indestrutível. Acreditamos sempre, sabemos do que somos capazes. Sabíamos que podíamos vencer este jogo. Do lado de lá estava um grande adversário, mas fizemos um excelente jogo." Foi assim que Fernando Santos resumiu o jogo que deu a Liga das Nações a Portugal.

Quando questionado sobre qual o segredo para conquistar dois troféus em três anos, o selecionador respondeu: ""Estes jogadores têm feito um trabalho fantástico, inexcedível. Não tenho tempo para criar rotinas, automatismos, é muito difícil. Os jogadores acreditam no treinador, tentam fazer bem. Às vezes não sai bem, nem a mim nem a eles, às vezes as coisas não são tão perfeitas como queríamos, mas não é por falta de empenho meu ou dos jogadores. Eles respondem sempre bem a qualquer forma de jogar. Entendi que esta era hoje a melhor para ganhar. . Foi uma vitória do povo."

Fernando Santos abandonou as entrevistas rápidas da Sport TV para ir ao balneário receber o Presidente da República.

"Continuo a pensar que o importante é vencer. Mesmo nos momentos maus, este grupo é sempre fortíssimo. São 60,70 pessoas que partilham este espaço. Muitas vezes encontramos a família e vamos um pouco desconfiados uns dos outros: aqui, mesmo para um estágio de seis, sete dias, é um grande prazer estarmos juntos. Isto faz a equipa. Claro que a qualidade e a classe dos jogadores ajudam a ganhar jogos", disse o técnico nacional.

O selecionador prometeu não ficar por aqui: "Vamos continuar a trabalhar da mesma forma. Somos candidatos a vencer as provas em que entramos. Esta já passou, vencemos, estamos contentes e felizes. Já dei os parabéns aos meus jogadores."

E os portugueses... "Não gosto de falar sobre mim, acho presunção. A apreciação do meu trabalho tem de ser feita por vocês, o que vou levar é este carinho que sinto na rua todos os dias. Este carinho é o 'obrigado'. Escusam de o dizer, porque foi de muito boa vontade. Repito, escusam de dizer obrigado, foi mesmo de boa vontade".

O que disseram os jogadores portugueses

Gonçalo Guedes (autor do único golo): "Fizemos um grande jogo e agora é dar os parabéns à equipa e festejar, aproveitar o momento. Sinto-me muito contente, orgulhoso de representar este grupo, é o que todos sentem. Grande orgulho por representar Portugal. Fizemos um grande trabalho, foi um grande jogo, tivemos muito mérito, foi uma vitória merecida. Jogar em casa com apoio do nosso público foi fantástico. Ajudaram-nos imenso. Foram sempre o 12.º jogador. Sinto-me muito contente por ter marcado o golo, ajudado a equipa. Tinha poucos segundos para decidir, decidi rematar e saiu-me bem. Estou feliz."

Bernardo Silva: "Já não me lembro de quem fez um grande passe a encontrar-me. Depois ouço o Gonçalo a gritar Bernardo. Nem vi bem onde estava, meti a bola para trás e felizmente ele fez uma grande finalização. Estou muito feliz por dar este título aos portugueses. Agora vamos de férias, fizemos uma grande época e para nós foi fantástico. Tentei dar o máximo e ajudei a equipa a ganhar. Muito contente por ganhar o meu primeiro título pela seleção de Portugal. Estou muito orgulhoso."

Rúben Dias: "É muito importante, estou muito feliz pela vitória de hoje. A primeira vez que se disputa este torneio e conseguimos ganhar em casa. Apoio incrível do público. Foi a primeira vez que disputei uma competição deste tamanho e em casa, com um apoio incrível."

José Fonte: "Importantíssimo dar este presente a todo o país, aos nossos adeptos. Mais um troféu para o nosso museu. Esperemos que continuemos assim por muitos mais anos. Podia ter feito dois golos, na verdade, mas o importante foi vencer. Ganhar este troféu e dar este presente a todos nós."

Nélson Semedo: "É um sentimento de alegria, muita alegria. Trabalhámos muito desde que terminámos a época nos clubes e chegámos aqui à seleção. Só um foco, primeiro jogar a final e depois ganhá-la. Importante, pois é em Portugal e queríamos dar uma alegria ao povo. E conseguimos, graças a Deus."

Danilo: "Sempre dissemos que queríamos ganhar a Liga das Nações e acaba por ter um sabor especial por ser no estádio do meu clube. Mas não deixa de ser especial por tudo o resto. Quando estamos de fora vivemos mais o jogo. Lá dentro vive-se menos porque estamos mais concentrados, mas a equipa fez tudo bem. Foi um grande jogo e merecemos esta Taça."

Ler mais

Exclusivos