Está desfeito o bloqueio: CR7 já... bisou pela Juventus

Português dá vitória à equipa de Turim no jogo frente ao Sassuolo (2-1)

Com Cristiano Ronaldo costuma ser assim: não há fome de golos que não dê em fartura. Ao fim de 320 minutos, o avançado português chegou por fim ao golo pela Juventus na liga italiana e duplicou a dose pouco mais tarde, assinando os dois golos com que a equipa de Turim venceu este domingo o Sassuolo, por 2-1.

Aos 50 minutos do encontro da quarta jornada da Serie A, Cristiano Ronaldo aproveitou uma recarga, na sequência de um pontapé de canto, e estreou-se a marcar com a nova camisola, em jogos oficiais.

O primeiro golo de Cristiano Ronaldo foi devidamente celebrado nas redes sociais da Juventus.

Desfeito o bloqueio, Cristiano Ronaldo não demorou muito a fazer o segundo. Um quarto de hora depois, o avançado português definiu com um remate de pé esquerdo, na área, um contra-ataque da Juventus, aumentando para 2-0.

O segundo golo do português foi muito festejado nas bancadas, com a transmissão televisiva a focar a reação de Georgina Rodriguez, a companheira do jogador, que assistiu ao jogo na companhia dos filhos de Ronaldo.

Cristiano Ronaldo evitou assim bater a sua maior seca de golos dos últimos dez anos, que aconteceu precisamente na época passada, no Real Madrid, quando esteve 355 minutos sem fazer um golo na liga espanhola. Na altura, depois de falhar as primeiras quatro partidas por suspensão, Cristiano Ronaldo entrou em campo à quinta jornada, mas foi apenas no seu quarto jogo, aos 85 minutos da partida com o Getafe, que marcou pela primeira vez na LaLiga de 2017/18.

Desta vez, CR7 ficou-se pelos 320 minutos de jejum. Depois de três jogos em branco para o português, o Sassuolo ainda resistiu 50 minutos, este domingo, até cair aos pés de Ronaldo.

A equipa visitante, que chegava a Turim como segunda classificada e também ainda sem ter perdido nesta Série A, ainda reduziu o marcador, por Babacar, aos 90', mas a partida terminou mesmo com a vitória (2-1) da Juventus, que assim mantém a liderança isolada e o pleno de triunfos no campeonato italiano, ao fim de quatro jornadas. Agora já com os golos de Cristiano Ronaldo.

Repescando a famosa analogia usada por CR7 em 2010, está oficialmente aberto o "frasco de ketchup" na liga italiana.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.