"Criminoso e cobarde". A reação de Bruno de Carvalho à ida a julgamento

Antigo presidente do Sporting não esconde a revolta por ir a julgamento no processo da invasão ao centro de treinos do clube.

"Quem propositadamente permite que alguém seja continuadamente enxovalhado, caluniado e difamado é criminoso... e cobarde!". Foi desta forma que Bruno de Carvalho reagiu na rede social Facebook à decisão do juiz Carlos Delca de levar a julgamento todos os 44 arguidos no processo do ataque à Academia do Sporting, em Alcochete.

O antigo presidente do Sporting escreveu esta curta frase, sem destinatário direto, pouco mais de meia hora após ser conhecido o despacho do magistrado referente ao que se passou a 15 de maio do ano passado no centro de treinos do clube.

O juiz de instrução defendeu a pronúncia de Bruno de Carvalho, e dos restantes acusados, por considerar que existem indícios da "prática dos crimes que lhes são imputados". No caso do ex-líder este está acusado da autoria moral de 44 crimes de sequestro (com a tipificação de terrorismo), ameaça agravada, dano com violência, detenção de arma proibida e introdução em local vedado ao público

No documento a que o DN teve acesso, Carlos Delca decidiu alterar as medidas de coação a que os arguidos estão sujeitos tendo mandado colocar em prisão domiciliária os cerca de 30 elementos da Juventude Leonina que estavam em prisão preventiva, exceto o líder da claque Nuno Mendes, este vai continuar detido.

Já Bruno de Carvalho terá a partir de agora de se apresentar de 15 em 15 dias na esquadra da força de segurança da sua área de residência - até hoje essa apresentação era semanal.

A decisão de acompanhar as acusações do Ministério Público já foi criticada por vários advogados que consideraram que a indiciação dos crimes "é fraca".

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.