Coreia do Sul de Paulo Bento vence Quirguistão e está nos oitavos da Taça da Ásia

Equipa orientada pelo português ganhou por 1-0, com um golo de Kim Min-Jae

A Coreia do Sul, treinada pelo português Paulo Bento, apurou-se esta sexta-feira para os oitavos de final da Taça Asiática de futebol, ao vencer por 1-0 o Quirguistão, em jogo da segunda jornada do grupo C.

No estádio Hazza bin Zayed Stadium, em Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos, a seleção sul-coreana, que tinha batido as Filipinas pelo mesmo resultado na ronda inaugural, venceu com um tento solitário do defesa Kim Min-Jae, aos 41 minutos, na sequência de um canto.

Com uma jornada por disputar, a Coreia do Sul assegurou a passagem à próxima fase, juntamente com a China, que hoje bateu a seleção das Filipinas, por 3-0, com um dos golos a ser anotado pelo ex-avançado do Benfica Yu Dabao.

China e Coreia do Sul somam seis pontos, enquanto Quirguistão e Filipinas continuam em 'branco' no grupo C. Na última jornada, marcada para dia 16, chineses e sul-coreanos vão defrontar-se pela liderança do grupo.

Já no grupo B, o detentor do troféu, Austrália, que tinha perdido com a Jordânia na primeira jornada, venceu por 3-0 a Palestina e soma menos três pontos do que os jordanos, que lideram o grupo, com seis.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.