Clubes portugueses pagaram quase 52 milhões de euros em comissões

Benfica surge em primeiro lugar de uma lista, em que os três grandes totalizam quase 42 milhões de euros. A surpresa é o Real Massamá, que surge na quarta posição graças a Carlos Vinícius

Os clubes portugueses pagaram mais de 51,6 milhões de euros em comissões em transferências e renovações de contratos de futebolistas entre 1 de abril de 2018 e 31 de março de 2019, de acordo com um relatório divulgado esta sexta-feira pela Federação Portuguesa de Futebol. Deste lote, destacam-se os três grandes - Benfica, FC Porto e Sporting -, que juntos totalizam quase 42 milhões de euros.

A SAD benfiquista foi a que mais dinheiro desembolsou em comissões, com um total de 17 883 893,02 euros, um valor que corresponde a 36 transações relativas a jogadores do plantel principal e equipa B masculina, mas também da equipa de futebol feminino, que foi constituída no início desta temporada.

Em segundo lugar deste ranking surge o FC Porto, com um total de 16 120 560,63 euros pagos a intermediários por 38 negócios de transferências ou renovações, enquanto o Sporting atingiu os 10 178 194 euros por 33 operações, surgindo na terceira posição.

Fora do âmbito dos três principais clubes portugueses, o V. Guimarães foi o clube que mais dinheiro desembolsou em comissões, atingindo os 3 107 400 euros, mas é no quinto lugar que surge a grande surpresa desta lista, o Real SC, clube de Massamá, que pagou 1,250 milhões de euros à Gestifute, empresa de Jorge Mendes, por causa da transferência do brasileiro Carlos Vinícius para o Nápoles.

Ou seja, o clube que atualmente milita no Campeonato de Portugal pagou mais que o Sp. Braga, que desembolsou 1 148 100 euros. Nesta lista surge ainda outro clube do terceiro escalão do futebol português, que pagou 130 mil euros de comissão pela transferência do jovem João Nóbrega para a Sampdoria.

Há ainda o registo de um total de 155 328 euros de comissões pagas por quatro jogadores: Emiliano Viviano pela transferência da Sampdoria para o Sporting; Ibeh Ofufo do Salgueiros; Diogo Calila do Belenenses SAD; e Nuno Valente do V. Setúbal.

Valores baixaram em relação a 2018

Estes valores são, no entanto, incomparavelmente inferiores aos divulgados esta quinta-feira pela Federação Inglesa relativa aos clubes da Premier League que atingiu os 304 milhões de euros, sendo que o Liverpool surge no primeiro lugar do ranking com cerca de 51 milhões de euros, quase o mesmo valor gasto por todos os clubes portugueses.

O futebol português regista no entanto uma diminuição dos valores pagos em comissões relativamente ao anterior período homólogo, que atingiu os 62 milhões de euros. A maior descida foi do Sp. Braga, que no ano passado tinha pago mais de oito milhões de euros, já o Benfica pagou menos 3,8 milhões de euros do que os valores referidos no relatório de 2018, o Sporting diminuiu os gastos em cerca de 4,6 milhões de euros, enquanto o FC Porto manteve-se nos mesmos valores do ano passado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".