Benfica sai da Alemanha eliminado e com saudades do VAR

Encarnados traziam vantagem de 4-2 da Luz, mas começaram a perder em Frankfurt com golo em fora de jogo e acabaram por sofrer o 2-0 por culpa própria.

Nem na Europa as principais equipas portuguesas conseguem evitar falar de arbitragens. Depois das queixas do FC Porto na eliminatória da Liga dos Campeões com o FC Porto, agora é o Benfica a sair da Liga Europa com a contribuição de um golo em fora de jogo, numa competição em que só haverá videoárbitro (VAR) na final.

A má avaliação desse lance explica alguma coisa, mas está longe de explicar tudo. Também tem que se falar dos dois golos sofridos na primeira mão, na Luz, onde o Eintracht Frankfurt passou a maior parte do jogo reduzido a dez. E da falta de ousadia dos encarnados esta quinta-feira na Alemanha até aos 2-0, à exceção dos primeiros dez minutos do segundo tempo. Tal como na segunda mão da meias-finais da Taça de Portugal, em Alvalade, as águias revelaram pouca competência para gerir uma vantagem numa eliminatória.

Perante um Eintracht que jogou com três defesas (e não com três centrais), o Bruno Lage apostou as fichas todas no ataque à profundidade no espaço das costas da defesa contrária no capítulo ofensivo, abdicando da posse de bola, que esteve maioritariamente do lado dos germânicos, que alternaram entre ataques mais apoiados e outros mais verticais.

Lage explodiu com golo irregular

Numa fase em que ainda não se tinha assistido a qualquer situação de perigo, a formação orientada por Adi Hutter colocou-se a vencer através de um golo do endiabrado Kostic, em posição de fora de jogo, na recarga a um remate de Gacinovic ao poste (37'). Na sequência do lance, Bruno Lage foi expulso por protestos e foi para a bancada assistir ao resto do encontro.

Com o desfecho da eliminatória mais incerto, as águias entraram bem no segundo tempo, com um cruzamento venenoso de João Félix que não encontrou destinatário e um remate perigoso de Seferovic, mas foi sol de pouca dura.

O Benfica voltou a entregar a iniciativa do jogo, a baixar no terreno, a focar-se apenas na profundidade e colocou-se a jeito para sofrer o segundo golo, que apareceu aos 68' pelos pés de Rode, que disparou à entrada da área a passe de Rebic. O mesmo Rode esteve perto do 3-0 dois minutos depois, mas Vlachodimos respondeu com a defesa da noite.

Só em desvantagem na eliminatória é que o líder da I Liga revelou algum atrevimento, mais em termos de substituições - saídas de Samaris e André Almeida, entradas de Pizzi e Jonas - do que propriamente em dinâmica ofensiva. Pertenceu ao regressado Salvio, que rendeu Rafa após dois meses afastado dos relvados, a melhor oportunidade do conjunto português: um remate ao poste, aos 85 minutos.

O Benfica volta assim a cair numa meia-final esta época, depois de já o ter feito na Taça da Liga e na Taça de Portugal, e foi eliminado pela segunda vez nas provas europeias (em 15 eliminatórias) depois de ter vencido em casa por dois golos na primeira mão. A primeira, curiosamente, também foi na Alemanha, em 1970, aos pés do Vorwärts Berlim.

A figura: Filip Kostic

Um amor antigo do Sporting, que o tentou contratar ao Groningen no verão de 2014 e ao Hamburgo no início desta época, e também do FC Porto, que já lhe piscava o olho quando o extremo ainda jogava na Sérvia e na Holanda. Filip Kostic foi o autor do golo mais polémico da eliminatória, apontado em clara posição de fora de jogo, mas também um dos irrequietos jogadores do Eintracht Frankfurt no encontro desta quinta-feira. Como ala esquerdo no sistema de 3x4x3 de Adi Hutter, teve liberdade para subir até à área contrária (ao contrário de Da Costa do lado direito) e fez a vida negra a André Almeida, sobretudo na primeira parte. O golo, mesmo irregular, acabou por ser o corolário do seu belíssimo desempenho.

Ficha do jogo:

Jogo disputado no Commerzbank Arena, em Frankfurt.

Assistência: Cerca de 48.000 espetadores.

Árbitro: Daniele Orsato (Itália).

Eintracht Frankfurt: Trapp, Hasebe, Abraham, Falette (Willems, 90+2), Da Costa, Gelson Fernandes, Rode (Torró, 86), Kostic, Gacinovic, Jovic (Gonçalo Paciência, 76) e Rebic.

Treinador: Adolf Hütter.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida (Jonas, 79), Rúben Dias, Jardel, Grimaldo, Fejsa, Samaris (Pizzi, 70), Gedson, Rafa (Salvio, 72), João Félix e Seferovic.

Treinador: Bruno Lage.

Disciplina: Cartão amarelo para Abraham (74), Falette (78), Rebic (82), Jonas (90+2). Ordem de expulsão para o treinador do Benfica, Bruno Lage (37).

Marcadores: 1-0, Kostic, 36 minutos; 2-0, Rode, 67.

Filme do jogo:

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.