Ponto final nas buscas pelo avião de Sala. "Possibilidades de sobrevivência extremamente remotas"

Em comunicado, o capitão David Barker, responsável pelas operações, anunciou a "decisão difícil" depois de revista "toda a informação" e concluiu: "As possibilidades de sobrevivência são, nesta altura, extremamente remotas"

As autoridades britânicas deram esta quinta-feira por concluídas, sem sucesso, as buscas levadas a cabo desde terça-feira para encontrar o avião que transportava o futebolista argentino Emiliano Sala, que desapareceu quando cruzava o Canal da Mancha, quando viajava de Nantes para Cardiff, na segunda-feira à noite.

O anúncio foi feito através de um comunicado do capitão David Barker, responsável pelas operações no terreno, após uma reunião da equipa de buscas e salvamento. "Apesar dos melhores esforços no ar e dos ativos das Ilhas do Canal, Reino Unido e França, que cobriram uma área de 4400 quilómetros quadrados, depois de examinados os dados de telemóvel e as imagens de satélite, revelou-se impossível encontrar vestígios de avião, piloto ou passageiro", começou por dizer.

O responsável das operações explicou que foram mais de 80 horas de voo em que foram utilizados três aviões, cinco helicópteros e dois botes salva-vidas, bem como de navios e barcos de pesca que passaram na zona, pelo que foi concluído que "as possibilidades de sobrevivência são, nesta altura, extremamente remotas" .

Nesse sentido, o comunicado diz ainda que "os familiares dos dois ocupantes já foram informados", acrescentando que o caso "continuará em aberto", pelo manter-se-á a comunicação com todos os navios e aviões que passem pela zona para perceberem se há algum vestígio da aeronave desaparecida, algo que "vai manter-se indefinidamente".

Exclusivos

Premium

Betinho

Betinho: "NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus à seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.