"Interditar o Estádio da Luz é um abuso e uma indecência", diz o Benfica

Encarnados voltaram a reagir à decisão do Conselho de Disciplina da FPF, falam em "mão negra por detrás do plano" e afirmam que o Benfica é o clube português que "mais contribui para o desenvolvimento da indústria"

O Benfica reagiu esta quarta-feira de uma forma mais extensa à interdição do Estádio da Luz por quatro jogos, decidida pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Os encarnados falam em "mão negra" num "plano" que "é claramente uma tentativa de desestabilizar o clube".

"A decisão de interditar o Estádio da Luz por quatro jogos é um abuso, uma indecência e, acima de tudo, uma machadada fatal na credibilidade de quem tem - ou deveria ter - a responsabilidade de garantir o bom funcionamento da justiça e da disciplina no futebol português", lê-se no início do texto, presente na edição desta quarta-feira da News Benfica.

"O único entendimento que é possível fazer a partir da intenção de quem pretendia fechar o Estádio da Luz é o de que existe uma mão negra por detrás deste plano. A Comissão de Instrutores da Liga teve o desplante - e a coragem - de propor a interdição por um mínimo de 7 e um máximo de 21 jogos. O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu por 4", prossegue a nota.

Os encarnados destacam ainda que, como a I Liga é disputada por 18 equipas, "a Liga admitia que o Benfica fizesse mais de uma temporada" sem partidas no Estádio da Luz. "Nunca houve um caso destes! E não é apenas no futebol português. É no futebol mundial!", diz o clube.

Afirmando que o Benfica é "a todos os níveis, um exemplo de qualidade, modernidade e responsabilidade", as águias asseguram também que o clube é, "em Portugal, quem mais contribui para o desenvolvimento da indústria".

"A forma como todo este processo foi manipulado e orientado revela, com perfeita nitidez, o objetivo pretendido: servir os interesses de quem "abençoou" esta Comissão de Instrutores da Liga e o seu principal responsável", frisam os encarnados.

O clube volta a explicar, como havia feito no comunicado de terça-feira, que vai avançar com "uma providência cautelar com efeitos suspensivos e imediatos e saberá reagir, no tempo e no sítio certos, a esta e outras manobras persecutórias". O texto cita ainda as declarações recentes de Luís Filipe Vieira após a vitória em Alvalade, por 4-2: "É o Benfica que não se verga"

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG