Incrível. Juventus, AC Milan, AS Roma e Inter Milão estão sem treinador

Em Itália está a ser um início de verão muito intenso e dos muitos nomes falados já estiveram José Mourinho e Leonardo Jardim e agora vem à baila... Sérgio Conceição.

Está aberta a corrida ao treinador em Itália. Juventus, AC Milan, AS Roma e Inter Milão, quatro dos mais importantes clubes da Série A estão sem comando técnico e procuram um novo rumo para a nova época. Os próximos dias prometem ser de grande azáfama para clubes, técnicos e empresários. E o desfile de nomes já começou

Esta quinta-feira foi Luciano Spalletti a colocar ponto final a duas épocas que não deixam saudades no Inter, uma vez que não conquistou qualquer título, embora tenha cumprido o objetivo de garantir dois apuramentos para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

O futuro excêntrico treinador de 60 anos, que apenas foi campeão na Rússia ao serviço do Zenit, por duas vezes, é agora uma incógnita, enquanto o Inter parece estar a preparar tudo para a chegada do há muito desejado Antonio Conte, técnico que foi demitido do Chelsea em julho de 2018 e desde então tem estado remetido a um período sabático.

A imprensa italiana garante mesmo que o antigo selecionador italiano há muito está comprometido com os nerazzurri e que está a preparar uma revolução no clube de Milão, para o dotar de armas para combater o domínio da Juventus, que se iniciou precisamente em 2011 quando Conte pegou na equipa e conquistou os três primeiros títulos de uma série de oito consecutivos.

Juventus "ataca" Maurizio Sarri

Precisamente a Juventus prepara-se para iniciar um novo ciclo. A saída de Massimiliano Allegri depois de uma época abaixo das expetativas na Liga dos Campeões foi inevitável, apesar da conquista do oitavo título. O anúncio do divórcio foi anunciado a 17 de maio, ainda com duas jornadas da Série A para cumprir, mas até ao momento Cristiano Ronaldo e João Cancelo ainda não sabem que será o senhor que se segue.

O nome mais falado para orientar a Vecchia Signora é agora Maurizio Sarri, treinador de 60 anos que esta quarta-feira conquistou o seu primeiro título da carreira ao conduzir o Chelsea à vitória na final da Liga Europa. O jornal Tuttosport avançou mesmo com a notícia que Andrea Agnelli, presidente do clube de Turim, esteve em Baku a assistir ao jogo e que terá ficado no mesmo hotel que os blues.

A confirmar-se o nome de Sarri para a Juventus, poderá querer dizer que se trata de um plano B, até porque o sonho dos dirigentes da Juve seria o espanhol Pep Guardiola, que assim à primeira vista estará empenhado em continuar o seu percurso de sucesso no Manchester City.

Milan pensa em Sérgio Conceição

Esta semana ficou também a saber-se que o AC Milan também decidiu mudar de rumo, em mais uma tentativa de recuperar a glória de outros tempos. O excêntrico Gennaro Gattuso falhou o apuramento para a Champions, onde falhou em toda a linha, quer a nível interno quer internacionalmente, pois esta época os rossoneri não conseguiram sequer passar a fase de grupos da Liga Europa.

O último título de campeão italiano já foi em 2010-11 com Allegri no comando e depois disso apenas conquistou duas Supertaças de Itália, acumulando uma extensa lista de treinadores, alguns dos quais com enorme passado como jogadores do clube, como são os casos de Mauro Tassotti, Clarence Seedorf, Filippo Inzaghi, Cristian Brocchi, Vincenzo Montella e agora Gattuso. Isto além de Sinisa Mihajlovic.

Além de Gattuso, também o diretor desportivo Leonardo deixou o clube, pelo que os rossoneri preparam-se para recomeçar do zero. E quem será o novo comandante desta nau à deriva? Vários nomes já foram apontados, desde o português Leonardo Jardim (Mónaco) ao italiano Simone Inzaghi, atualmente na Lazio, passando por Gian Piero Gasperini (Atalanta), Roberto De Zerbi (Sassuolo) e Eusébio Di Francesco (ex-Roma).

Contudo, nas últimas horas foi o nome de Sérgio Conceição a fazer as notícias em Itália, através do jornal Tuttosport. O treinador português tem contrato com o FC Porto e já garantiu que irá permanecer no cargo. Mas, a avaliar pelas informações que vêm de Itália, o facto de ter sido jogador do rival Inter parece não ter importância para os dirigentes do AC Milan, faltando saber se terão argumentos para convencer o técnico portista...

Roma tem o segredo bem guardado

Finalmente, a AS Roma. Aqui reside o segredo mais bem guardado da Série A. Eusebio Di Francesco foi demitido a meio da época depois da eliminação da Champions diante do FC Porto, tendo para o seu lugar entrado o experiente Claudio Ranieri com a missão de fazer o melhor possível até final da temporada. O resultado foi um modesto sexto lugar e o apuramento para a segunda pré-eliminatória da Liga Europa.

Ranieri partiu e o sucessor ainda não é conhecido, para desespero dos adeptos giallorossi. Em tempos chegou a falar-se de José Mourinho, mas o português desapareceu da lista de candidatos, sendo que neste momento Gian Piero Gasperini, que levou a Atalanta a um histórico apuramento para a Champions, parece o favorito... nas casas de apostas.

A imprensa italiana tem falado, sem grande força, diga-se, em Gasperini, mas também em De Zerbi e até de Maurizio Sarri. E nas últimas horas até foi apontado Francesco Totti, antiga estrela do clube, como possibilidade para assumir o cargo, embora nunca tenha tido experiência como treinador.

São quatro gigantes de Itália que estão ativos no mercado em busca de um timoneiro. No lote de habituais candidatos ao título apenas o Nápoles, que ficou em segundo lugar na Série A, parece navegar em águas tranquilas, pois o veterano Carlo Ancelotti parece intocável.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.