Pódio trocado: Hamilton chegou em segundo mas venceu GP Canadá sob apupos

Sebastian Vettel foi penalizado por manobra considerada perigosa e a vitória foi entregue a Lewis Hamilton. "As pessoas não deviam apupar o Lewis, mas sim decisões estranhas", pediu ao público o alemão.

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) herdou este domingo a vitória no Grande Prémio do Canadá de Fórmula 1, graças a uma penalização sofrida pelo alemão Sebastian Vettel (Ferrari) por uma manobra considerada perigosa pelos comissários.

O piloto britânico tinha sido o segundo a cortar a meta, a 1,342 segundos de Vettel, mas, com a penalização de cinco segundos ao alemão, acabou por vencer por 3,658 segundos. O alemão caiu para segundo, falhando o primeiro triunfo da temporada, enquanto o monegasco Charles Leclerc (Ferrari) fechou o pódio, a 4,696 segundos de Hamilton.

Foi o 78.º triunfo da carreira do britânico, quinto da temporada, com Hamilton a igualar o recorde do alemão Michael Schumacher com sete conquistas no Canadá, no circuito Gilles Villeneuve, numa época em que a Mercedes mantém o pleno de vitórias.

Vettel liderou desde o arranque e apenas durante a paragem nas boxes para trocar de pneus permitiu a Hamilton passar brevemente pelo primeiro lugar, mantendo uma vantagem confortável na ordem dos dois segundos.

Mas na segunda metade da corrida, sétima da temporada, Lewis Hamilton passou ao ataque e foi recuperando terreno, quando o Ferrari se debatia com problemas de temperatura dos travões.

O campeão do mundo, que vinha de duas vitórias consecutivas, chegou a estar a seis décimos de segundo de Vettel, mas falhava a aproximação final.

Até que, na 48.ª volta das 70 previstas, o alemão falhou a travagem ao entrar na primeira chicane, nas curvas 3 e 4, saindo para a relva. Ao reentrar em pista, passando por cima do corretor, o Ferrari por pouco não acertou no Mercedes de Hamilton, que teve de travar para não bater no muro.

Os comissários entenderam que o antigo campeão do mundo pela Red Bull não reentrou em pista de forma segura e aplicaram uma penalização de cinco segundos ao alemão. "Estão a roubar-nos a vitória", queixou-se, pela rádio. "O comissário é completamente cego. Tive sorte em não bater no muro", acrescentou, mal terminou a corrida.

Vettel foi mesmo o primeiro a ver a bandeirada de xadrez, apesar dos esforços de Hamilton em passar até final. "Não era desta forma que queria vencer. Tentei passá-lo até ao fim. São assim as corridas", comentou o britânico, que em 2008 passou por uma situação semelhante.

Na altura, no GP da Bélgica, em Spa-Francorschamps, foi-lhe aplicada uma penalização de 25 segundos já após ter finalizado a corrida, caindo de primeiro para terceiro, com a vitória a ser atribuída ao brasileiro Felipe Massa (Ferrari).

Sobre a manobra de Vettel, Lewis Hamilton considerou que no regresso à pista "não é suposto voltar à trajetória de corrida, mas fazê-lo de forma segura".

O público é que não se conformou e apupou o vencedor oficial, enquanto Vettel se dirigia para o camião da equipa. Mais calmo, acabou por se dirigir à cerimónia do pódio, não sem antes trocar as placas que indicavam as posições finais dos carros ali estacionados, debaixo de uma grande ovação.

No final, pediu ao público que não apupasse Hamilton. "As pessoas não deviam apupar o Lewis, mas sim decisões estranhas", concluiu.

Com estes resultados, Hamilton reforçou a liderança do campeonato, com 162 pontos, contra os 133 de Valtteri Bottas (Mercedes), que foi apenas quarto classificado, atrás de Charles Leclerc, somando um ponto extra pela volta mais rápida da corrida. Vettel é terceiro, com 100 pontos.

No Mundial de Construtores, a Mercedes tem agora 295 pontos, contra os 172 da Ferrari e os 124 da Red Bull.

A próxima prova é o GP de França, em Paul Ricard, a 23 de junho.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG