Gelson Martins pode ser o 16.º português do Atlético de Madrid

Extremo dos leões pode seguir pisadas de Futre, Simão, Tiago, entre outros. O primeiro português dos colchoneros foi Jorge Mendonça, no final da década de 60 do século XX

Gelson Martins, de 23 anos, está em vias de se tornar jogador do Atlético de Madrid e aumentar o contingente de futebolistas portugueses que representaram os colchoneros. Caso se confirme a transferência do extremo - de acordo com o jornal espanhol AS os contactos estão muito adiantados e o jogador já terá inclusivamente dito sim ao Atlético -, será o 16.º português a ser recrutado pelo emblema espanhol, embora nem todos tenham chegado a jogar pelo clube.

Quando se fala em portugueses do Atlético de Madrid, o primeiro nome que vem à memória é o de Paulo Futre. Não só porque foi o português de maior sucesso dos colchoneros, ainda hoje idolatrado pelos adeptos, mas porque a sua passagem pela capital espanhola aconteceu há mais de 20 anos. Mas na realidade Futre não foi o primeiro. Essa honra foi de Jorge Mendonça.

Mendonça, natural de Angola, deu nas vistas no Sporting de Braga e rumou ao Deportivo da Corunha no final da década de 50 do século passado. Mas bastou-lhe uma temporada na Galiza para chamar a atenção do Atlético, que o contratou em 1958 e o avançado por lá ficou até 1967, conquistando vários troféus, entre os quais uma Taça das Taças. Jorge Mendonça haveria ainda de representar o Barcelona.

Futre foi então o segundo representante luso do Atlético. Deixou o FC Porto em 1987, depois de conquistar a Taça dos Campeões Europeus, e ficou na capital espanhola até 1992 (haveria de voltar em 1998, mas por pouco tempo). Ganhou logo um Porsche amarelo do então presidente Gil y Gil e ainda hoje é recordado como um dos melhores jogadores que passou pelo clube. Nunca foi campeão, mas conquistou duas Taças do Rei e foi consecutivamente considerado um dos maiores futebolistas a atuar na Liga espanhola.

Seguiram-se mais 13 jogadores portugueses, entre eles Hugo Leal, Dani, Maniche, Costinha, Simão e Tiago. Este último foi dos que teve mais sucesso (foi campeão em 2013/14), representando o clube entre 2010 e 2017, e atualmente integra a equipa técnica de Diego Simeone.

Outros portugueses foram contratados, mas nunca chegaram a jogar pelo Atlético. Caso de João Vieira Pinto, que deixou o Boavista e rumou a Madrid por indicação direta de Paulo Futre, mas que apenas jogou pela equipa satélite do clube, o Atlético Madrileno. Também Rúben Micael chegou a ser contratado, mas foi de imediato cedido ao Saragoça. O mesmo aconteceu com Diogo Jota e André Moreira. Foram contratados, mas nunca jogaram pelo clube, sendo sucessivamente cedidos. O guarda-redes que na época esteve emprestado ao Belenenses, contudo, ainda tem vínculo com o Atlético.

Gelson Martins foi um dos nove jogadores que rescindiram contrato com o Sporting alegando justa causa. Mas segundo a imprensa espanhola, os colchoneros estão disponíveis para chegar a um acordo com a SAD leonina.

Eis os portugueses que passaram pelo Atlético de Madrid:

Mendonça (1958-1967)
Paulo Futre (1987-1993)
João Vieira Pinto (1990-1991)
Hugo Leal (1999-2001)
Dani (2001-2003)
Maniche (2006-2009)
Zé Castro (2006-2008)
Costinha (2006-2007)
Sílvio (2011-2013)
Pizzi (2011-2012)
Simão Sabrosa (2007-2011)
Tiago Mendes (2010-2017)
Rúben Micael (2011-2012)
André Moreira (2014)
Diogo Jota (2016-2018)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG