Futebolista português diz ter sido "enganado" no Chipre e está sem clube

O defesa central Henrique diz ter sido "enganado" pelo clube cipriota Pafos FC, que o contratou no último defeso, mas que não o registou, e está agora livre para assinar por outra equipa.

O jogador, de 31 anos, que nas três últimas épocas representou o Boavista, vai contar com apoio jurídico do Sindicato dos Jogadores (SJPF) junto da FIFA, "requerendo as sanções previstas para o despedimento ilícito", conforme se lê numa nota no sítio oficial do SJPF.

Segundo o Sindicato, o Pafos FC não procedeu ao "registo de contrato e inscrição na última janela de transferências, conforme era sua obrigação".

Henrique diz que agora só pensa "em voltar a competir" porque, sendo um jogador livre, pode ser contratado a qualquer altura, e frisou ter sido "enganado" pelo clube cipriota.

"O que se passou no Chipre foi uma desilusão, mas não sou caso único, outros jogadores que assinaram contrato com clubes do Chipre também foram enganados. Fiz uma excelente pré-época, mas, a certa altura, fui colocado de parte pelo treinador. São opções técnicas que respeito, só não encontro explicação para o facto de o Pafos FC não me ter inscrito e de mais tarde ter procedido à rescisão unilateral", disse, em declarações à sua assessoria de imprensa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG