Foi há 15 anos que a Grécia gelou a Luz e se sagrou campeã da Europa

Grécia venceu Portugal por 1-0 na final do Euro 2004 a 4 de julho de 2004. Golo de Charisteas adiou o sonho português

Foi há precisamente 15 anos, a 4 de julho de 2004, que a seleção grega gelou o Estádio da Luz e adiou o sonho de Portugal em conquistar um título de seleções a nível sénior.

Depois de ter perdido com a Grécia no jogo de abertura (1-2), no Estádio do Dragão, os homens de Luiz Felipe Scolari deram grande resposta, com vitórias sobre Rússia (2-0), Espanha (1-0), Inglaterra (6-5 nas grandes penalidades, após 2-2) e Holanda (2-1) e eram considerados favoritos para a final. Porém, um golo de Charisteas aos 57 minutos, na sequência de um canto a partir da direita, deu a vitória à seleção helénica.

Ricardo, Miguel (Paulo Ferreira, 43), Jorge Andrade, Ricardo Carvalho, Nuno Valente, Costinha (Rui Costa, 60), Maniche, Deco, Figo, Cristiano Ronaldo e Pauleta (Nuno Gomes, 74) foram os jogadores portugueses utilizados nessa final, ao passo que Nikopolidis, Seitaridis, Kapsis, Dellas, Fyssas, Katsouranis, Zagorakis, Basinas, Charisteas, Giannakopoulos (Venetidis, 76) e Vryzas (Papadopoulos, 81) foram lançados pelo selecionador da Grécia, o alemão Otto Rehhagel.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.