Sem brilhar, Benfica competente segue em frente na Liga Europa

Encarnados empataram no Estádio da Luz, sem golos, frente ao Galatasaray. Ficaram oportunidades por aproveitar, num encontro em que a equipa turca apenas assustou os adeptos encarnados perto do final

Se Bruno Lage pudesse escolher qual seria o primeiro empate da sua era à frente do Benfica, provavelmente optaria por um jogo como o desta quinta-feira, em que a igualdade garantia a passagem aos oitavos-de-final da Liga Europa. Os encarnados não fizeram golos, e tiveram ocasiões, mas o Galatasaray também não, e só assustou perto do final, o que colocou de forma justa as águias na eliminatória seguinte.

Com Gedson, Florentino e Cervi a serem novidades no onze, foi precisamente o extremo argentino, logo aos 7', que esteve perto do golo. Cervi apareceu na área a finalizar um cruzamento de Pizzi, depois de um contra-ataque que o próprio conduziu. O remate saiu ao lado, mas estava dado o mote para a fraca finalização que o Benfica demonstrou.

Principalmente durante os primeiros 30 minutos, o Benfica controlava bem o jogo, tentando saídas rápidas e aproveitando algumas borlas dos centrais do Galatasaray, que mostraram nos dois jogos pouca capacidade de construção de qualidade.

Os turcos iam tentando de bola parada, o que fizeram durante todo o encontro, até de antes do seu meio-campo, mas foi o Benfica que esteve novamente perto do golo. Aos 35', um excelente passe de Ferro descobriu Seferovic na esquerda, que cruzou rasteiro para a área e viu Mariano ficar perto de um autogolo.

Ainda em cima do intervalo, Florentino soltou João Félix na esquerda, e o novo craque da Luz encontrou Pizzi à entrada da área, mas Muslera negou o golo ao internacional português. Ao intervalo, ficava a ideia de que, mesmo sem a assertividade de outros jogos, um Benfica mais eficaz estaria a ganhar e com justiça.

Para o segundo tempo a equipa de Bruno Lage trouxe uma atitude mais incisiva e foi mais rápida nos movimentos. Dessa fase, que durou cerca de 20 minutos, destaque para uma jogada do Galatasaray que apanhou a defesa do Benfica desequilibrada. Feghouli apareceu completamente sozinho na direita, mas nenhum colega deu uma linha de passe passível de concretização e a defesa encarnada resolveu. Ao minuto 61' apareceu a última oportunidade do Benfica: Pizzi bateu o canto, Ferro desviou ao primeiro poste, e João Félix, mais recuado, parecia ter um golo certo mas, perto da baliza, atirou por cima.

Os últimos trinta minutos não tiveram grandes oportunidades do Benfica, que ia controlando o jogo, com e sem bola. Os encarnados acabaram por recuar um pouco, mas não em demasia, com o Galatasaray a ter mais bola. No entanto, como no resto da partida, faltou algo aos turcos para assustar verdadeiramente os adeptos presentes no Estádio da Luz. No entanto, já no minuto 86', a equipa turca, que entretanto tinha equilibrado a posse de bola, acabou por introduzir a bola na baliza, após uma defesa de Vlachodimos. Ao autor do primeiro remate, Diagne, foi marcado fora de jogo, num lance em que a posição do avançado não é totalmente clara.

Nos últimos minutos não houve mais sustos, e o Benfica de Bruno Lage, depois de todos os golos e de exibições de qualidade notória, mostrou que sabe fazer outras coisas. E hoje, em que o mais importante era passar, a equipa encarnada mostrou ter prioridades bem definidas.

Figura: Gedson

Chamado a titularidade, o médio do Benfica cumpriu bem a função, fazendo funcionar a dupla com outro jovem, Florentino. Pode não estar nos grandes destaques, mas além de algumas perdas de bola, e uma podia ter sido bastante perigosa, esteve bem, quer no passe, quer nas recuperações de bola. Bruno Lage chamou-o e incentivou-o após esse deslize mais complicado, e Gedson continuou no mesmo ritmo para confirmar uma exibição consistente, num jogo em que até acabou à direita. O Benfica precisava hoje de um conjunto de características específicas para garantir a qualificação, mesmo sem grande brilhantismo, e Gedson demonstrou-as em campo.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Ferro, Rúben Dias, Grimaldo, Pizzi (Gabriel, 83'), Gedson, Florentino, Cervi (Rafa, 59'), João Félix (Jonas, 76') e Seferovic.

Treinador: Bruno Lage.

Galatasaray: Muslera, Mariano Ferreira, Luyindama, Marcão, Nagatomo, Donk (Sinan Gümüs, 78'), Ndiaye, Feghouli (Emre Akbaba, 84'), Belhanda, Onyekuru (Yunus Akgün, 84') e Diagne.

Árbitro: Ovidiu Hategan (Roménia).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Marcão (4'), Jonas (90+3') e Ndiaye (90+3').

Filme do jogo

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG